Aposentadoria do INSS é autorizada para donas de casa; Veja como receber e valor do benefício

As donas de casa de todo o país podem ter acesso a aposentadoria do INSS e aproveitar de um pouco de tranquilidade. Para isso elas devem cumprir com algumas regras; veja quais são.

Aposentadoria do INSS é autorizada para donas de casa; Veja como receber e valor do benefício (Imagem: FDR)

Pouca gente sabe, mas as donas de casa podem se beneficiar da aposentadoria do INSS. O benefício previdenciário é garantido aquelas que fazem contribuições mensais à Previdência Social, mas o processo de pagamento é um pouco diferente.

Aposentadoria do INSS para donas de casa

  • Enquanto os trabalhadores formais têm a contribuição descontada do salário, as donas de casa devem fazer o pagamento como segurado facultativo.
  • Essa modalidade é usada porque essa população exerce uma atividade não remunerada.
  • O pagamento pode ser feito mensalmente ou a cada três meses.
  • Para elas as alíquotas aplicadas são de 5% (R$ 70,6), 11% (R$ 155,32) e 20% (R$ 282,4) do salário mínimo.
  • Quem já trabalhou com carteira assinada pode utilizar o número do contribuinte para fazer o pagamento e ter acesso à aposentadoria.
  • Caso não tenha vínculo empregatício registrado, é preciso fazer a inscrição pela Central 135.
  • Ou através do Meu INSS, em “Inscrever no INSS”.
  • Segundo o INSS a aposentadoria será concedida a dona de casa que cumprir com os requisitos mínimos.
  • Ao se aposentar a contribuinte recebe o valor de um salário-mínimo, em 2024 R$ 1.412.

O INSS acaba de anunciar uma importante novidade para os seus aposentados, nossa especialista Lila Cunha te explica, confira.

Benefícios do INSS para donas de casa

Além da aposentadoria elas passam a ter direito também a outros benefícios previdenciários, como:

  •  Auxílio por incapacidade temporária
  • Salário-maternidade
  • Auxílio-reclusão 
  • Pensão por morte para os dependentes.

Lembrando que para ter acesso a esses benefício é necessário fazer o pagamento regular ao INSS, em alguns pode até mesmo ser exigido tempo de carência mínimo.

 

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.