FIM do saque do FGTS é CONFIRMADO para este mês; entenda

Proposta sobre o fim do saque do FGTS deve ser finalizada ainda em março e seguirá para votação. Nova forma de acessar os recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço deve ser criada em breve. 

FIM do saque do FGTS é CONFIRMADO para este mês; entenda  (Imagem: Jeane de Oliveira/FDR)

Há algum tempo o governo vem sinalizando o desejo de colocar um fim no saque do FGTS feito anualmente. Agora, isso pode estar mais próximo de acontecer, pois, a proposta deve ser finalizada neste mês de março. A notícia foi confirmada pelo ministro do Trabalho, Luiz Marinho, na última semana.

Para o ministro o saque-aniversário deixou muitos trabalhadores insatisfeitos, pois, ao aderirem a ele o saldo fica retido pelo período de 25 meses.

Fim do saque do FGTS

  • O saque-aniversário foi criado em 2020 para permitir que anualmente o trabalhador tivesse acesso a parte do saldo de suas contas.
  • No entanto, em caso de demissão sem justa causa o valor fica retido e não pode ser retirado. Nessa situação o profissional acessa apenas a multa de 40% do saldo do FGTS.
  • É exatamente esse o ponto que o Governo quer reverter, afinal, o FGTS foi criado para ser uma espécie de poupança usada exatamente quando o trabalhador perde sua renda de trabalho mensal.
  • Como substituto o ministro já sinalizou a possibilidade de criação de um empréstimo consignado através da plataforma do FGTS Digital, lançado no começo de março
  • Segundo ele, a opção estará disponível aos trabalhadores de empresas privadas e empregadas domésticas.
  • Pela própria plataforma os profissionais poderiam conferir as taxas de juros e escolher o banco que melhor atende as suas necessidades.
  • Ou seja, não será necessário contratar o empréstimo apenas no banco em que a empresa é filiada.

Nossa colunista Laura Alvarenga te apresenta os valores e datas do saque-aniversario, veja.

 

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.