REAJUSTES! Remédios e conta de luz MAIS CAROS afetam o bolso

Brasileiros vão sentir nos bolsos diversos reajustes previstos para os próximos meses. Gastos com remédios e conta de luz devem pesar mais no orçamento no final do mês. No caso dos medicamentos esse será o segundo reajuste deste ano.

REAJUSTES! Remédios e conta de luz MAIS CAROS afetam o bolso (Imagem: FDR)

Os brasileiros foram pegos de surpresa com as notícias sobre os reajustes dos remédios e conta de luz. E, aparentemente não teremos muito tempo para os preparar, pois, o aumento deve acontecer em pouco tempo.

Reajustes nos remédios

  • A expectativa é de que os reajustes aconteçam entre os meses de março e maio.
  • No caso da conta de luz, o aumento da taxa é resultado da correção tarifária anual é instituída pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).
  • Ainda não há um percentual definido, o que a Agência estima que seja feito apenas em abril.
  • Para os moradores do Rio de Janeiro o reajuste já está definido em 4,05% e passa a ser aplicado já na próxima sexta-feira, 15.

Conta de luz mais cara

  • No caso dos remédios, o aumento foi confirmado pela Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), representante das 30 maiores farmacêuticas do Brasil.
  • Nesse caso o reajuste é resultado do aumento das alíquotas de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).
  • O cálculo é feito sempre no mês de março, a partir do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) dos últimos 12 meses.
  • Além disso, outros fatores entram na conta, como a produtividade da indústria, inflação, câmbio e até a tarifa de energia elétrica.
  • Veja como ter acesso a medicamentos e itens de higiene gratuitamente, clique aqui.
  • Além disso tudo, os planos de saúde também terão aumento, que deve ser divulgado até o mês de maio pela Associação Brasileira de Planos de Saúde (Abramge).

Nossa especialista Lila Cunha explica como os aposentados podem limitar os reajuste dos planos de saúde, veja.

 

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.