Empréstimo consignado do INSS vale a pena? Descubra benefícios de contratar o crédito

Os aposentados, pensionistas e até mesmo quem recebe o BPC (Benefício de Prestação Continuada), têm direito de solicitar o empréstimo consignado do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Este é o tipo de crédito preferido desse público, já que tem grande facilidade para ser liberado.

Existem vários tipos de empréstimos disponíveis no mercado atualmente. O crédito pessoal que é liberado dependendo do score e da confiança que aquele CPF passa. O empréstimo por garantia que coloca um bem como garantia caso as parcelas não sejam pagas. E ainda, o empréstimo consignado do INSS que compromete parte do salário previdenciário para pagar o financiamento.

Os servidores públicos também podem pedir crédito consignado, mas aposentados e pensionistas ainda lideram o ranking de solicitações. Para os bancos essa opção também é interessante porque eles têm absoluta certeza de que o crédito será pago, já que o pagamento acontece com desconto direto no salário do cidadão.

Justamente por isso é possível oferecer taxa de juros menores, se comparadas ao crédito pessoal, por exemplo. O governo federal junto ao CNPS (Conselho Nacional da Previdência Social) tem trabalhado para diminuir a taxa de juros nesta operação. Estimulando a rivalidade entre os bancos para que os solicitantes ganhem com isso.

Empréstimo consignado do INSS vale a pena?

Depende! Existem motivos que tornam o empréstimo consignado do INSS mais interessante do que os demais tipos de crédito. Como existem razões para não querer contrata-lo. Especialistas recomendam que o aposentado tenha muita cautela antes de pedir pelo crédito, e faça uma análise do real motivo que te leva a pedir pelo dinheiro. Isso se chama planejamento. 

A partir disso existem alguns pontos que precisam ser observados. O consignado do INSS vai valer a pena porquê:

  • Taxa de juros são as menores do mercado, chegando ao teto de 1,72% ao mês;
  • O prazo de pagamento é de até 84 meses, quer dizer, 7 anos;
  • O limite é calculado com base no valor do seu salário;
  • As parcelas também têm valor limite com base no seu salário;
  • Quem tem o “nome sujo” pode pedir o crédito;
  • Até quem recebe o BPC tem direito de contratar.

Quanto é pago por mês de empréstimo do INSS?

Existe um limite de valor que pode ser descontado do salário do INSS todo mês para pagar empréstimo. Este limite é chamado de margem consignável e vai indicar o quanto o segurado pode comprometer da sua renda com crédito. Hoje, até 45% do valor recebido pode ser reservado para essa finalidade, mas esse total é dividido em:

  • 35% para empréstimo consignado;
  • 5% para cartão de crédito consignado – a fatura é descontada do salário do cidadão;
  • 5% para cartão de benefícios.

Exemplo: Luiz ganha R$ 2.360 de pensão por morte todos os meses. Então ele pode contratar um empréstimo consignado cuja parcela seja de no máximo R$ 826. 

 Consultar taxa de juros do empréstimo do INSS

O Ministério da Previdência Social decidiu colocar a disposição dos seus clientes a consulta da taxa de juros do empréstimo do INSS. Dessa forma, antes de fazer a contratação o aposentado já pode comparar em qual banco a cobrança será menor.

  • Acesse o aplicativo ou site Meu INSS;
  • Na página inicial, onde há uma lupa, escreva “Taxas de Empréstimo Consignado”;
  • Será aberta uma página com a lista de bancos e os juros praticados em cada um deles;
  • Para ver mais bancos, basta rolar a página até embaixo e clicar em “Ver mais”;
  • Também é possível buscar pela instituição que o segurado quer pesquisar no alto da página, em “Pesquise por instituição”.

Onde pedir empréstimo consignado do INSS?

O pedido do empréstimo consignado do INSS acontece diretamente com o banco da sua confiança. Não é preciso fazer nenhum tipo de autorização, ao informar seu CPF o próprio sistema vai reconhecer que é um segurado previdenciário e calcular o limite.

O crédito pode ser contratado no:

  • Banco onde recebe o salário todo mês;
  • Banco onde achou os juros mais barato (abrir conta);
  • Banco digital.

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]