Calendário do Bolsa Família de março será antecipado? Confira datas de pagamento

O calendário do Bolsa Família de março já foi divulgado pela Caixa Econômica Federal (CEF). Mediante a empolgação com os próximos pagamentos, alguns beneficiários se perguntam se os depósitos serão antecipados. 

Calendário do Bolsa Família de março será antecipado? Confira datas de pagamento. Imagem: (FDR)

Os repasses do Bolsa Família de março terão início no próximo dia 15 para beneficiários com Número de Identificação Social (NIS) terminado em 1. O cronograma seguirá até o dia 28, abrangendo gradualmente os demais dígitos do NIS.

Em situações de emergência ou calamidade pública reconhecidas pelo Governo Federal, residentes em municípios afetados terão seus pagamentos unificados em uma data específica, rompendo com a ordem habitual de escalonamento.

No entanto, não há nenhuma previsão a respeito da antecipação do Bolsa Família de março. O calendário de pagamentos seguirá o modelo padrão implementado pelo Governo Federal, no qual os depósitos são efetuados nos últimos dez dias úteis de cada mês. 

Calendário do Bolsa Família de março

Novidades para o Bolsa Família de março

Diante das circunstâncias, os ministros aprovaram um relatório em conjunto com as medidas do Governo Federal na tentativa de resolver o problema de fraudes no Bolsa Família. Entre as medidas propostas estão:

Regras do Bolsa Família de março

As famílias devem cumprir compromissos nas áreas de saúde e de educação. São elas:

Composição do Bolsa Família de março

Até que novos valores sejam definidos, o Governo Federal mantém a composição atual para o Bolsa Família da seguinte forma:

Quem corre risco de ter o Bolsa Família bloqueado?

Serão afetados pelos cortes do Bolsa Família em março:

É importante destacar que o programa Bolsa Família pode passar por diferentes estágios em relação aos benefícios concedidos. Esses estágios incluem a suspensão, o corte e o veto, cada um com significados distintos.

A suspensão ocorre quando o benefício é temporariamente interrompido para permitir uma nova avaliação da situação do beneficiário. Já o corte implica na interrupção imediata das parcelas, mas ainda há a possibilidade de recuperá-las mediante regularização da situação. 

Por fim, o veto é a etapa final, na qual não há mais chance de recuperar o benefício. É importante ressaltar que aqueles que passarem pela suspensão ou pelo veto ainda terão uma oportunidade de regularizar sua situação. 

Após a suspensão ou corte das parcelas, eles terão um prazo de 30 dias para apresentar os documentos necessários e regularizar sua situação junto ao Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).

Após a regularização, o Governo Federal terá um prazo de até 60 dias para avaliar os documentos e decidir se os pagamentos serão retomados. Caso isso ocorra, os pagamentos retroativos também serão efetuados, garantindo a cobertura dos meses em que o benefício esteve suspenso ou cortado.

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.
Sair da versão mobile