Lula revela nova facilitação para crédito consignado; veja o que muda e quais as regras

O Governo Lula pretende facilitar o crédito consignado, ou seja, com desconto na folha de pagamento. Iniciativa deve permitir que a população compare taxas cobradas pelas instituições bancárias. Entenda melhor como o sistema vai funcionar.

Lula revela nova facilitação para crédito consignado; veja o que muda e quais as regras
Lula revela nova facilitação para crédito consignado; veja o que muda e quais as regras (Imagem FDR)

O governo federal pretende mudar a forma como o crédito consignado é concedido à população. Nesse sistema de empréstimo o valor é desconto direto na folha de pagamento, para trabalhadores do setor privado. A ideia é trazer mais transparência na hora da contratação do empréstimo.

Crédito consignado facilitado

  • O projeto está em desenvolvimento pelos s ministérios da Fazenda e do Trabalho e a Caixa Econômica Federal.
  • A ideia é criar um portal que reúna diversas instituições financeiras.
  • Os trabalhadores com carteira assinada poderão se cadastrar e comparar as taxas, prazos e outros quesitos.
  • Então, poderão escolher qual a melhor alternativa para contratação do empréstimo.
  • Pelas regras atuais, o trabalhador só pode contratar essa modalidade de empréstimo no banco em que a empresa está credenciada.
  • Com a mudança o profissional terá mais liberdade de decisão.
  • Nesse novo sistema o crédito consignado será contratado pela própria plataforma.
  • A plataforma, parecida com o FGTS digital, e contará com integração com o e-Social, que é administrado pela Caixa Econômica Federal.
  • Além disso, em um segundo momento o sistema vai possibilitar a portabilidade do empréstimo.
  • Ou seja, o trabalhador poderá transferir o seu empréstimo para outra instituição bancária.
  • Para isso ele também analisará as taxas cobradas e escolherá as mais baixas.
  • Essa portabilidade deve ser implementada ainda nesse ano nas dívidas do cartão de crédito, saiba mais.
  • As ações devem beneficiar todos os trabalhadores da iniciativa privada, principalmente os funcionários de média e pequenas empresas.
  • Uma vez que, em geral, essas empresas têm menos poder de firmar acordo com grandes bancos.
  • O governo estuda inserir essa nova funcionalidade na plataforma gov.br; para isso é necessário descobrir se o sistema comporta o recurso.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.