Linha de crédito dentro do Cadastro Único pode ter um NOVO público beneficiado

Nesta semana os ministros do Desenvolvimento Social, da Fazenda e do Empreendedorismo se reuniram. Eles discutiram formas de promover uma linha de crédito para pessoas que estão dentro do Cadastro Único. Seria a forma do governo estimular o empreendedorismo para pessoas de baixa renda.

Linha de crédito dentro do Cadastro Único pode ter um NOVO público beneficiado
Linha de crédito dentro do Cadastro Único pode ter um NOVO público beneficiado (Imagem: FDR)

O encontro dos membros do governo na última quarta-feira (7) aconteceu para que eles pudessem discutir formas de investimento no novo projeto. Em que pessoas inscritas no Cadastro Único poderão contratar empréstimo para investir no seu pequeno negócio. Seria uma maneira de dar independência a esse público.

” (…) a importância desse trabalho conjunto, também com estados, municípios e setor privado, para que se disponibilize opção de crédito com taxas e prazos adequados, bem como assistência social e assistência técnica, para garantir que as pessoas do Bolsa Família possam empreender, disse Wellington Dias, do Desenvolvimento Social.

Quem poderá contratar empréstimo pelo Cadastro Único?

O governo ainda deve elaborar o texto do projeto que vai dar aos inscritos no Cadastro Único a chance de contratarem empréstimo. A ideia é usar o Fundo de Garantia de Operações (FGO) e o Programa Emergencial de Acesso a Crédito (PEAC-FGI) para garantir créditos bancários com taxas menores.

A partir disso, o crédito poderia ser solicitado por:

  • Quem recebe benefícios sociais por meio do CadÚnico;
  • Tem interesse em abrir uma empresa ou pequeno negócio;
  • Não tem investimento próprio para começar a empreender.

Quando o empréstimo será liberado?

Ainda não existem informações sobre quando o empréstimo ficará disponível. Até lá, os interessados podem empreendedor de forma registrada por meio do MEI (Micro Empreendedor Individual).

Mas é necessário atenção. Caso a sua empresa cresça e obtenha lucros registrados que aumente a renda da família, programas como o Bolsa Família poderão ser cortados. Já que o benefício é pago prioritariamente a quem vive de baixa renda.

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]