Bolsa Família paga PIX de R$ 2.012 para idosos

É possível garantir um benefício significativo para idosos com mais de 65 anos através da combinação do Bolsa Família com o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Essa união pode resultar em um PIX de R$ 2.012, atendendo aos critérios específicos de cada programa. 

Bolsa Família paga PIX de R$ 2.012 para idosos
Bolsa Família paga PIX de R$ 2.012 para idosos. (Imagem: FDR)

O PIX de R$ 2.012 consiste no valor do salário mínimo atual de R$ 1.412  pago pelo BPC e o mínimo do Bolsa Família de R$ 600. O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) oferece o Benefício de Prestação Continuada a idosos com mais de 65 anos e pessoas com deficiência. 

Para ser elegível, é necessário comprovar incapacidade de longo prazo e baixa renda, com atualização do Cadastro Único (CadÚnico) a cada dois anos. O BPC não é uma aposentadoria vitalícia, mas um benefício social sujeito a exigências. 

Quem recebe o BPC não tem direito ao décimo terceiro, apenas ao salário mínimo vigente. A oportunidade de mantê-lo junto ao Bolsa Família é crucial para famílias em vulnerabilidade socioeconômica, proporcionando uma melhor qualidade de vida e acesso a recursos essenciais.

Critérios do PIX de R$ 2.012 pelo Bolsa Família 

O Bolsa Família oferece uma oportunidade adicional para quem já recebe o Benefício de Prestação Continuada, permitindo que as famílias melhorem suas condições financeiras sem abrir mão de nenhum dos benefícios. 

Essa combinação pode ser crucial para garantir suporte financeiro significativo. A inscrição para o BPC (LOAS) requer o registro no CadÚnico e, em seguida, a solicitação junto ao INSS

Já para ingressar no Bolsa Família, o cadastro é realizado no CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), proporcionando acesso a benefícios sociais essenciais.

Regras do Bolsa Família

As famílias devem cumprir compromissos nas áreas de saúde e de educação. São elas:

  • Realização do acompanhamento pré-natal;
  • Acompanhamento do calendário nacional de vacinação;
  • Realização do acompanhamento do estado nutricional das crianças menores de 7 anos;
  • Frequência escolar mínima de 60% para as crianças de 4 a 5 anos, e de 75% para os beneficiários de 6 a 18 anos incompletos que não tenham concluído a educação básica;
  • A família deve sempre manter atualizado o Cadastro Único (pelos menos, a cada 24 meses).

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.