Peritos em greve! INSS tem mais um problema para diminuir fila de espera

Na última quarta-feira (24) o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) precisou lidar com uma crise interna. Os peritos médicos federais decretaram greve de 24 horas, e avisaram que não para por aí. Essa foi, segundo os profissionais, a primeira de três manifestações que serão realizadas neste mês.

Peritos em greve! INSS tem mais um problema para diminuir fila de espera
Peritos em greve! INSS tem mais um problema para diminuir fila de espera (Imagem: FDR)

A próxima greve dos peritos do INSS está marcada para o dia 31 de janeiro. Este é mais um problema que o Ministério da Previdência Social enfrenta, já que o número de pedidos previdenciários só aumentam. Com a baixa mão de obra, os pedidos atrasam e os segurados podem entrar com uma ação na Justiça. 

Por que os peritos do INSS entraram de greve?

De acordo com os profissionais, a greve é uma manifestação para reivindicar alguns dos seus direitos. Eles pedem que os órgãos responsáveis pelo INSS providenciem:

  • Reajuste salarial de 23% para a categoria;
  • Abertura de concurso público com 1,5 mil vagas para suprir a falta de profissionais, e automaticamente diminuir a demanda atual;
  • Cumprimento do acordo da greve de 2022.

No ano passado o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aprovou o reajuste de 9% no salário dos peritos, mas eles dizem que a quantia não atinge a defasagem salarial que chega a 27%.

Como trabalhadores são prejudicados com a greve no INSS?

Embora esse seja um problema que cabe ao governo resolver, os trabalhadores que dependem do INSS são automaticamente prejudicados. Tudo porque, sem profissionais habilitados para atender nas agências, os segurados não conseguem passar pelo exame médico realizado no local.

  • A perícia desmarcada atrasa a liberação do benefício por incapacidade;
  • Será preciso aguardar uma nova disponibilidade na agenda para refazer o exame;
  • O próprio Instituto vai entrar em contato com os segurados que tinham perícia marcada, mas foram prejudicados pela greve.

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]