Nova faixa de isenção no Imposto de Renda 2024 anima os contribuintes

Depois da Unafisco Nacional (União Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal) vir a público criticar a atual faixa de isenção no Imposto de Renda 2024, o governo federal se pronunciou. A mudança mais recente na tabela havia sido no ano passado, mas agora novas alterações estão planejadas.

Nova faixa de isenção no Imposto de Renda 2024 anima os contribuintes
Nova faixa de isenção no Imposto de Renda 2024 anima os contribuintes (Imagem: FDR)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) confirmou que deve ser aprovada uma nova faixa de isenção no Imposto de Renda 2024. Até o ano passado não haviam sido realizadas mudanças na primeira faixa da tabela desde 2016. O reajuste aprovado, no entanto, ainda não atinge quem vive em condição de renda baixa. 

Nova faixa de isenção no Imposto de Renda 2024

Na última terça-feira (23) o presidente Lula confirmou que vai haver um novo reajuste na isenção no Imposto de Renda 2024. O objetivo seria aumentar a faixa de isentos do imposto para até dois salários mínimos (R$ 2.824).

Pelos números atuais não devem ser tributados aqueles que têm rendimentos de até R$ 2.640, o equivalente a soma de dois salários mínimo de 2023 (R$ 1.320).

“Com o reajuste do salário mínimo (em 2024), as pessoas que ganham dois salários mínimos parece que vão voltar a pagar Imposto de Renda, mas não vão. Porque nós vamos fazer as mudanças, agora, para que quem ganhe até dois mínimos não pague”, disse o presidente em entrevista à Rádio Bahia.

  • Como é hoje: isentos quem ganha até R$ 2.640 (R$ 2.112 + R$ 538 de desconto bônus);
  • Como deve ficar: isentos quem ganha até R$ 2.824 (dois salários mínimos).

Tabela do Imposto de Renda 2024

A tabela mostra o rendimento que dá direito a isenção no Imposto de Renda 2024, e os demais ganhos. Para cada faixa há uma alíquota de cobrança diferente.

Antes de 2023, a última correção da tabela havia ocorrido em abril de 2015, no segundo mandato da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). A Unafisco defende que o reajuste aconteça com base na inflação dos últimos anos, mas para o governo essa alteração não seria financeiramente vantajosa. 

Com a mudança do ano passado pelo menos 13,5 milhões de contribuintes conseguiram a isenção no Imposto de Renda, segundo a Receita Federal. A tabela que está valendo desde então apresenta os seguintes valores:

Base de cálculo Alíquota Dedução
Até R$ 2.112,00
De R$ 2.112,01 até R$ 2.826,65 7,5% R$ 158,40
De R$ 2.826,66 até R$ 3.751,05 15,0% R$ 370,40
De R$ 3.751,06 até R$ 4.664,68 22,5% R$ 651,73
Acima de R$ 4.664,68 27,5% R$ 884,96
  • Rendimentos previdenciários isentos para maiores de 65 anos: R$ 1.903,98;
  • Dedução mensal por dependente: R$ 189,59;
  • Limite mensal de desconto simplificado: R$ 528,00.

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]