IPVA 2024: confira dicas e calculadoras para checar o valor do imposto

Brasileiros vão pagar o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores no começo do próximo ano. Alíquota é diferente em cada estado, assim como as regras de isenção. Veja como calcular o IPVA 2024.

IPVA 2024: confira dicas e calculadoras para checar o valor do imposto
IPVA 2024: confira dicas e calculadoras para checar o valor do imposto (Imagem: Montagem/FDR)

O IPVA 2024 será cobrado em todo o país a partir de janeiro do próximo ano. Calcular o valor do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores pode ser a melhor alternativa para se programar. Afinal, além dele, no início do ano os brasileiros também pagam o IPTU e compram material escolar.

Como saber o valor venal do meu veículo?

  • Antes de calcular o IPVA é necessário saber o valor venal do seu veículo, que seria o preço médio dos veículos comercializados no país.
  • Para isso, basta acessar o site da tabela Fipe.
  • Clique em “Consulta de carros e utilitários pequenos”.
  • Insira os dados do seu veículo: fabricante, modelo, ano de fabricação.
  • Após isso, o valor será informado e você poderá calcular o imposto.

Calculadoras para o IPVA 2024

Zapay

  • É necessário fazer um cadastro rápido.
  • A consulta é gratuita
  • É possível consultar de qualquer lugar do país.

Gringo

  • Disponível apenas em alguns estados
  • É possível acessar a tabela Fipe através dele
  • O site também possui um aplicativo que pode ser usado para o acompanhamento

iDinheiro

  • Não é necessário cadastro
  • É possível consultar de qualquer localidade do país
  • São necessárias as informações básicas do veículo, além do valor venal
  • O sistema vai apresentar o valor para pagamento em cota única e para pagamento parcelado

Alíquotas do IPVA 2024

  • Acre: de 1% a 2%;
  • Alagoas: de 1% a 3,25%;
  • Amapá: de 0,5% a 1,5%
  • Amazonas: Nesse ano a alíquota no estado teve um aumento de 0,5% em relação ao ano anterior, com isso, ela ficou entre 0,7% e 3,5%
  • Bahia: de 1% a 3%;
  • Ceará: de 1% a 3,5%;
  • Espírito Santo: de 1% a 2%;
  • Goiás: de 1,25% a 3,75%;
  • Maranhão: de 1% a 2,5%;
  • Mato Grosso: de 1% a 4%;
  • Mato Grosso do Sul: de 1,5% a 4,5%;
  • Minas Gerais: de 1% a 4%;
  • Pará: Alíquota de 0,5% a 2,5%;
  • Paraíba: 2,5%
  • Paraná: de 1% a 3,5%;
  • Pernambuco: de 1 a 4%
  • Piauí: de 1% a 3%;
  • Rio de Janeiro: de 0,5% a 4%;
  • Rio Grande do Norte: de 1,5% a 3%;
  • Rio Grande do Sul: de 1% a 3%;
  • Rondônia: de 1% a 3%
  • Roraima: de 2% a 3%
  • Santa Catarina: de 1% a 2%;
  • São Paulo: de 1% a 4%;
  • Sergipe: de 1% a 10%;
  • Tocantins: de 1% a 10%.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.