Ondas de calor reflete no bolso dos brasileiros; veja como economizar energia

Parece que as ondas de calor que têm atingido o país nos últimos dias não vão se contentar em incomodar apenas o corpo, mas ao bolso também. Analistas da economia informam que as altas temperaturas vão refletir na inflação, e automaticamente deixar o custo de vida ainda mais caro. 

Ondas de calor reflete no bolso dos brasileiros; veja como economizar energia
Ondas de calor reflete no bolso dos brasileiros; veja como economizar energia (Imagem: FDR)

Os meteorologistas e a defesa civil têm emitido alertas em relação as ondas de calor que estão atingindo diferentes partes do país. A previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para ontem (16) era de recorde de calor no ano com máximas variando de 36°C a 42°C dependendo da cidade.

Como as ondas de calor influenciam na economia?

Os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referentes a outubro e divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) já mostram os efeitos das ondas de calor na economia. Com aumento de preço para os alimentos e eletrodomésticos, como ar-condicionado e ventilador.

Especialistas em economia também acreditam que a conta de energia elétrica deve subir, já que as reservas de água ficaram mais baixas com menos previsão de chuvas.

Por hora, já foi possível perceber:

  • Aumento de 6,09% no preço dos aparelhos de ar condicionado, alcançando o maior índice desde outubro de 2010;
  • Aumento de 0,20% no valor dos ventiladores;
  • Elevação de preço dos alimentos, reflexo da dificuldade de transporte principalmente com uso de barcos. Influencia na produção de verduras, legumes e grãos.

Economizar energia elétrica com as ondas de calor

A Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco) acredita que as ondas de calor trarão reflexos na conta de luz devido ao aumento expressivo no consumo de energia registrado recentemente.

Foi registrado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) um recorde na demanda por energia, atingindo 101.475 megawatts. O que significou um crescimento de 16,8% em relação ao início de novembro.

O aumento de consumo pode ser explicado pelo uso de ar-condicionado, mais tempo do ventilador ligado na tomada, aumento da refrigeração da geladeira, entre outros.

Como economizar na energia elétrica

  • Aproveite a luz do sol. Abra as janelas, puxe as cortinas, e evite deixar as luzes acesas;
  • Aproveite o calor do sol. Ao invés de deixar a máquina de lavar mais tempo na tomada na função de secagem prefira estender as roupas no varal;
  • Tome banhos frios. Quanto menos energia o chuveiro puxar, mais economia você terá;
  • Use ar-condicionado em lugares fechados. Quando o ar-condicionado está ligado em ambientes abertos ele precisa forçar mais a sua potência para emissão do ar gelado, o que consequentemente puxa mais energia.

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]