Titulares do Bolsa Família se preocupam com mudanças no valor pago em 2024

Pago mensalmente pelo Governo Federal, o programa Bolsa Família complementa a renda de mais de 20 milhões de famílias brasileiras. Por mês, elas recebem o pagamento mínimo de R$ 600. No entanto, existe uma grande expectativa pelo reajuste do valor pago em 2024.

Titulares do Bolsa Família se preocupam com mudanças no valor pago em 2024
Titulares do Bolsa Família se preocupam com mudanças no valor pago em 2024. (Imagem: FDR)

Porém, para o próximo ano, ainda não existe previsão de mudança no valor do benefício principal do Bolsa Família. Aprovado recentemente, o orçamento de 2024 foi calculado para que o programa mantenha seu valor mínimo em R$ 600.

No entanto, apesar de não existir previsão de reajuste, as famílias brasileiras que fazem parte do programa de transferência renda podem aumentar o valor que recebem. Isso porque, além do benefício principal, o Bolsa Família também realiza o pagamento de extras.

Confira os benefícios extras do Bolsa Família:

  • Benefício Variável Familiar Nutriz: Aumenta em R$ 50 o pagamento por cada membro da família com até seis meses de idade;
  • Benefício de Renda de Cidadania: Paga um adicional de R$ 142 por pessoa da família;
  • Benefício Complementar: Garante que o valor mínimo do Bolsa Família seja de R$ 600;
  • Benefício Primeira Infância: Adiciona R$ 150 por criança de até sete anos que faça parte da família.

Para receber esses pagamentos é preciso que as famílias mantenham os dados do CadÚnico atualizados. As informações, que são enviadas para o Governo Federal, são utilizadas como base para definir quais grupos de famílias poderão ser incluídos na lista de pagamentos extras.

Para realizar o processo, o responsável familiar deve comparecer até a unidade mais próxima do CRAS com o CPF de todos os integrantes da família, documento de identificação com foto e outras documentações que comprovem a necessidade de atualização das informações. Após a atualização, a inclusão nos benefícios extras é realizada de forma automática.

Confira mais detalhes sobre o programa de transferência de renda neste link.

Danielle Santana
Jornalista formada pela Universidade Católica de Pernambuco, já atuou como repórter no Jornal do Commercio, Diario de Pernambuco e Folha de Pernambuco. Nos locais, acumulou experiência nas editorias de economia, cotidiano e redes sociais. Possuí experiência ainda como assessora de imprensa.