Ministro de Lula anuncia mudanças no INSS a partir de 2024 afetando milhares de brasileiros

Mudanças no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) são planejadas pelo ministro da Previdência, Carlos Lupi, com foco em um retorno integral das atividades presenciais nas agências para o próximo ano. Atualmente, 30% a 40% dos servidores atuam remotamente. 

Ministro de Lula anuncia mudanças no INSS a partir de 2024 afetando milhares de brasileiros
Ministro de Lula anuncia mudanças no INSS a partir de 2024 afetando milhares de brasileiros. (Imagem: FDR)

É importante ressaltar que não há intenção de importar a volta presencial por meio de portarias ou decretos presidenciais. O ministro planeja o retorno de servidores do INSS

Atualmente, cerca de 30% a 40% trabalham remotamente, mas o ministro da Previdência, Carlos Lupi, almeja o retorno de todas as agências. Ele confirma a importância do contato humano para a população.

Além disso, Lupi discute um concurso público para contratar 1,5 mil médicos peritos, priorizando o Nordeste e o interior. O objetivo é descentralizar a força de trabalho e estabelecer regras para a mobilidade dos servidores nos primeiros dez anos de serviço público.

Mudanças no INSS surpreenderam em agosto. O governo divulgou estatísticas divergentes sobre a fila, com uma diferença de 223,6 mil requisitos entre os números apresentados em documentos oficiais. As autoridades justificaram essa discrepância alegando fontes distintas e a adaptação a uma nova metodologia de contagem.

Qual é a meta de redução da fila de espera do INSS?

O INSS tomou uma importante decisão que promete cumprir o objetivo de reduzir a fila de espera. A autarquia contabilizou cerca de 637,4 mil segurados aguardando pela perícia médica

Devido à amplitude da fila de espera, o INSS decidiu expandir a liberação do auxílio-doença à distância. Desta forma, o segurado terá a chance de enviar toda a documentação médica pela internet. Para isso, é preciso já ter o exame pericial marcado em uma agência da Previdência Social. 

A fila de espera já se tornou um problema recorrente entre os segurados e a própria Previdência Social. Por isso, o objetivo do INSS é reduzir o período em que os contribuintes aguardam pela análise do benefício. Hoje, esse tempo gira em torno de 180 dias. 

O processo de análise de documentos é agora conduzido de forma totalmente online, podendo ser requisitado através do site do INSS, do aplicativo Meu INSS ou pelo telefone 135.

É essencial observar que a requisição por telefone requer a entrega física dos documentos em uma Agência da Previdência Social (APS) ou via plataforma Meu INSS

A plataforma Atestmed simplifica esse processo, estabelecendo um prazo máximo de 180 dias para a concessão do benefício. Em caso de recusa, é possível solicitar uma nova avaliação após 15 dias.

Além disso, destaca-se que os benefícios baseados em incapacidade por acidentes agora podem ser processados com base apenas na Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT)

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.