Caixa autoriza saque de R$ 6.200 para titulares do FGTS; consulte os critérios

A recente onda de desastres naturais em Santa Catarina deixou marcas profundas. Para ajudar os cidadãos regionais, o Governo Federal liberou valores de até R$ 6.220,00 do Saque Calamidade do FGTS.

Vai sacar seu AUXÍLIO BRASIL? Veja como fugir das longas filas da Caixa
Caixa autoriza saque de R$ 6.200 para titulares do FGTS; consulte os critérios (Imagem: FDR)

Com 118 cidades catarinenses em situação de emergência – quase 40% do estado – o Saque Calamidade é um instrumento importante para amenizar os estragos causados pelos desastres naturais.

A liberação desse recurso está vinculada ao reconhecimento formal, pelos municípios afetados, das áreas atingidas junto à Caixa Econômica Federal, responsável pela gestão do FGTS. Somente após esse processo, o dinheiro é disponibilizado.

Como sacar o valor emergencial na Caixa?

  • Para ter acesso a essa ajuda, é necessário possuir saldo na conta do FGTS e não ter efetuado saques pelo mesmo motivo no último ano.
  • Além disso, o trabalhador deve apresentar uma foto do documento de identidade e um comprovante de residência em seu nome, emitido até 120 dias antes da declaração de calamidade pública.
  • De acordo com a Caixa, o valor será liberado para os beneficiários em até 5 dias úteis.

Outros benefícios pagos pelo Governo Federal

O Saque Calamidade do FGTS surge como uma medida emergencial importante para os trabalhadores impactados pelos desastres recentes. No entanto, o Governo Federal também possui outros auxílios para cidadãos em situações de vulnerabilidade social, como:

  • Bolsa Família: Programa de distribuição direta de renda para famílias que vivem com até R$ 218 por pessoa. O valor mínimo é de R$ 600, no entanto, é possível receber adicionais.
  • Famílias com crianças e adolescentes podem receber de R$ 50 a R$ 150 de bônus por membros que preencham as faixas etárias do programa (Clique aqui para saber mais)
  • BPC: O Benefício de Prestação Continuada é um auxílio financeiro pago pelo INSS a idosos acima de 65 anos e deficientes (Veja a lista de deficiências clicando aqui).
  • Apesar de ser pago pela Previdência, o BPC não precisa de contribuições prévias ao INSS. Além das condições anteriores, é preciso ter renda familiar igual ou menor a 1/4 do salário mínimo.

Ariel França
Sou produtor multimídia com mais de 10 anos de experiência. Formado em Jornalismo e pós-graduado em Direito Administrativo e Gestão Pública. Concentro-me em simplificar temas complexos, como finanças, gestão pública e administração, para torná-los acessíveis a todos os públicos. Acredito na importância de uma comunicação responsável e de alta qualidade em todas as mídias, mantendo-me atualizado constantemente para atender às demandas do mercado de forma competente.