Usar o limite emergencial DIMINUI o score? SERASA responde

Pontos-chave
  • Entenda se o limite emergencial prejudica seu score
  • Score de crédito é uma pontuação muito importante para os brasileiros

O score de crédito é a pontuação que todos os consumidores possuem na Serasa. Ela é impactada de várias formas, podendo subir ou cair, a depender do comportamento de cada pessoa com relação a sua vida financeira. Mas será que utilizar o limite emergencial diminui seu score? Saiba aqui.

Usar o limite emergencial DIMINUI o score? SERASA responde
Usar o limite emergencial DIMINUI o score? SERASA responde (Imagem FDR)

O limite emergencial é um crédito que a instituição financeira libera de forma especial em momentos de necessidade. Mesmo sendo uma boa solução em momentos específicos, diversos consumidores tem dúvida se isso pode afetar o seu score de crédito.

Limite emergencial e score de crédito

Este tipo de limite é uma extensão temporária do limite de crédito convencional liberado pelo banco.

Este valor pode ser usado para dar conta de despesas urgentes, como emergências médicas, reparos inesperados e demais necessidades financeiras imprevistas.

Mas é preciso ficar atento, pois o limite emergencial de crédito é oferecido com taxas de juros mais elevadas que as taxas normais de crédito. Fora isso, o pagamento do valor utilizado é feito na próxima fatura, juntamente com os encargos correspondentes.

Já o score é um sistema de pontuação usado para avaliar a probabilidade de um consumidor ou empresa pagar seus compromissos financeiros. A pontuação vai de de 0 a 1000 pontos. Quanto mais alto for o Score, maior a chance do consumidor arcar com as dívidas.

O Serasa Score considera diversos critérios para calcular a pontuação de cada pessoa. Cada critério possui um peso específico na nota final:

  • Pagamento das contas em dia: 55% da pontuação do score.
  • Registro de dívidas pagas e pendentes: 33% da pontuação.
  • Consultas ao CPF feitas por empresas: 6% da pontuação.
  • Tempo de relacionamento com o mercado de crédito: 6% da pontuação.

Limite emergencial afeta o Score?

De forma isolada, o limite emergencial de crédito não afeta diretamente o Serasa Score. No entanto, usá-lo de forma excessiva, assim como qualquer outra linha de crédito, pode impactar negativamente sua pontuação.

Isto acontece pois quando a pessoa usa muito o limite emergencial, a tendência é aumentar o comprometimento com crédito e levar até ao endividamento. Atrasos nos pagamentos e dívidas trazem um impacto negativo no Score. O critério compromisso com crédito possui peso de 55% na pontuação.

Sendo assim, mesmo que usar o limite emergencial não impacte de forma direta em seu score, é necessário utilizar qualquer linha de crédito de forma responsável. Sempre pague suas contas em dia e evite acumular dívidas. Nunca gaste mais do que ganha.

Dicas para não precisar do limite emergencial 

Faça seu orçamento financeiro 

Para conseguir controlar suas despesas, sempre anote tudo em um caderno ou planilha. Desta forma você terá uma visão completa de onde o seu dinheiro está sendo gasto. Isto também te ajuda a não se perder em meio a tantos pagamentos que devem ser feitos.

Evite os gastos desnecessários

Neste momento de ajuste de despesas, verifique de que forma você pode economizar.

Não menospreze pequenas economias como apagar a luz ao sair de um cômodo, tomar banhos mais rápidos, utilizar o chuveiro na posição verão e juntar uma maior quantidade de roupas antes de lavar.

Crie uma reserva de emergência

Não existe um valor mínimo ideal, uma vez que cada família possui uma renda e necessidades diferentes. Os especialistas dão apenas uma dica: eles recomendam que o valor seja de três a seis vezes o custo de vida mensal com alimentação, educação, moradia e transporte, ou seja, apenas gastos essenciais. Os mais conservadores falam em até 12 meses.

Negocie as dívidas

Após organizar suas finanças, procure seus credores para negociar suas dívidas. Tendo dinheiro na mão, a negociação fica mais fácil.

Uma dica primordial é aceitar a proposta se ela realmente estiver dentro das possibilidades do consumidor. Caso contrário, o consumidor pode se atrapalhar novamente e não irá conseguir pagar o novo compromisso.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.