NETFLIX começa a cobrar nova TAXA e deixa brasileiros REVOLTADOS

A Netflix é a maior plataforma de streaming do mundo e seus conteúdos são consumidos diariamente por uma quantidade inimaginável de pessoas. No entanto, a empresa tomou uma decisão que incomodou fortemente os assinantes. Entenda.

NETFLIX começa a cobrar nova TAXA e deixa brasileiros REVOLTADOS
NETFLIX começa a cobrar nova TAXA e deixa brasileiros REVOLTADOS (Imagem: FDR)

Nesta terça, 23, a Netflix comunicou que passará a cobrar uma taxa adicional de R$12,90 por mês para usuários que fazem o compartilhamento de sua conta com pessoas de fora de sua casa.

Taxa de compartilhamento da Netflix desagrada assinantes

Esta taxa já estava sendo cobrada desde o último ano em países como Chile, Costa Rica, Peru, Argentina, República Dominicana, Honduras, El Salvador e Guatemala.

“A partir de hoje, começaremos a enviar este email para assinantes que compartilham a conta Netflix fora da própria residência no Brasil”, dizia a plataforma em seu comunicado aos assinantes.

Segundo a empresa, o titular da conta poderá adquirir um ponto extra pagando R$12,90 ou poderá fazer a transferência do perfil da outra pessoa, que, por sua vez, terá que pagar uma nova assinatura.

“A conta Netflix deve ser usada por uma única residência. Todas as pessoas que moram nesta mesma residência podem usar a Netflix onde quiserem, seja em casa, na rua, ou enquanto viajam. Além disso, podem aproveitar as vantagens dos novos recursos como “Transferir um Perfil” e “Gerenciar Acesso e Aparelhos”, disse a empresa.

“Sabemos que nossos assinantes têm muitas opções de entretenimento. Por isso continuamos investindo na variedade de filmes e séries, garantindo que independentemente do seu gosto, humor, idioma, ou com quem você assiste, sempre tenha algo para você na Netflix”, finaliza o comunicado.

Empresa sabe que decisão não agrada a todos 

A plataforma sabe que esta solução não será bem recebida pelos clientes, mas olhando para o longo prazo, a Netflix acredita que isto ajudará nos lucros. 

Plataformas de streaming direcionados para o entretenimento ainda tentam se provar financeiramente.

Como negócio único, as empresas podem enfrentar problemas para se estabelecer no longo prazo. Isso fica mais evidente ao passo que plataformas como Netflix, Hulu, Disney entre outras padecem com a rotatividade de clientes, quando os mesmos cancelam suas assinaturas ao terminar de ver o conteúdo que o interessa.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.