Vai dar o que falar: Contratados da UERJ relatam esquema de rachadinha nas vésperas das Eleições 2022

Esquema de rachadinha foi relatado por alguns contratados da UERJ ao portal UOL, prática envolvia boletos e até PIX. Prática é ilegal e envolvia bolsistas da Universidade Estadual do Rio de Janeiro.

Vai dar o que falar: Contratados da UERJ relatam esquema de rachadinha nas vésperas das Eleições 2022
Vai dar o que falar: Contratados da UERJ relatam esquema de rachadinha nas vésperas das Eleições 2022 (Imagem: FDR)

Mais uma vez a prática de rachadinha ganha os noticiários, esse termo nomeia a ação de políticos ou gestores se apropriarem de parte dos salários de funcionários nomeados por eles. Uma investigação do portal UOL descobriu a prática na UERJ.

Essa prática foi considerada pelo TSE em 2022 como enriquecimento ilícito e dano ao patrimônio público.

Rachadinha na UERJ

Segundo o UOL, a prática acontecia da seguinte forma:

Uma folha de pagamento secreta continha funcionários que repassavam boa parte de seus salários via boleto ou PIX; esses bolsistam recebiam o maior valor pago pela UERJ R$ 34 mil brutos.

Além disso, alguns bolsistam ainda relataram o pagamento de valores para as pessoas que os indicaram para os programas. Segundo eles, esses pagamentos foram feitos entre junho e agosto de 2022.

Dois bolsistas, os mesmos que relataram o esquema anterior, ainda apontaram para outra forma de realização da prática, onde os bolsistas eram indicados por candidatos à deputado pelo Rio de Janeiro na eleição de 2022.

A situação que já estava ruim ainda piora, o UOL entrou em contato com os 75 bolsistas que receberam os maiores valores de bolsa na UERJ.

O levantamento encontrou indícios de que boa parte deles nem sequer prestou serviços à universidade.

Inclusive, um advogado que recebeu mais de R$ 100 mil brutos já admitiu que não prestou serviços à Universidade Estadual do Rio de Janeiro.

É importante lembrar que ao receber uma bolsa de uma instituição pública, o bolsista deve apresentar resultados, colaborar com a comunidade acadêmica.

A UERJ informou que o projeto em questão já foi encerrado em dezembro de 2022 e que irá apurar as denúncias feitas pelo UOL.

“Após as investigações, serão adotadas as providências legais cabíveis, seja no âmbito interno, seja por meio dos órgãos de controle, que têm recebido permanentemente os resultados dos procedimentos internos da universidade”, informou a UERJ.

Para saber mais sobre vagas de emprego, vestibulares e cursos, acompanhe a nossa editoria de Carreiras.

Jamille Novaes
Baiana, formada em Letras Vernáculas pela UESB, pós-graduada em Gestão da Educação pela Uninassau. Apaixonada por produção textual, já trabalhou como corretora de redação, professora de língua portuguesa e literatura. Atualmente se dedica ao FDR e a sua segunda graduação.