Empresas vão mudar vale-alimentação após funcionários levarem comida para o trabalho

Mudanças no vale-alimentação estão deixando milhares de trabalhadores decepcionados. Esse benefício é oferecido pelas empresas aos trabalhadores, mas não é um direito previsto por lei. De acordo com a CLT, o pagamento desse adicional é opcional e somente é obrigatório se estiver previsto em contrato.

Empresas brasileiras podem sofrer algum impacto após surpreendente falência do Silicon Valley Bank?
Empresas vão mudar vale-alimentação após funcionários levarem comida para o trabalho

Embora seja uma oferta comum no mercado de trabalho, uma recente pesquisa revelou que esse benefício não é tão vantajoso quanto se pensa. Muitas empresas oferecem esse vale para evitar a responsabilidade de fornecer alimentação dentro da empresa, mas essa opção pode não ser a mais econômica para os trabalhadores.

O vale-alimentação tem um limite mensal e somente pode ser utilizado em estabelecimentos credenciados pela empresa responsável pelo cartão. Embora essa opção permita que os funcionários comprem alimentos para levar de casa, também limita as escolhas alimentares, uma vez que somente podem ser adquiridos produtos em locais credenciados.

Mudanças no vale-alimentação e refeição

A partir de maio, as empresas deverão oferecer aos seus colaboradores a possibilidade de portabilidade de seus cartões de vale-alimentação ou refeição. Isso significa que o trabalhador poderá escolher o operador do cartão e utilizar o valor em estabelecimentos de sua preferência, o que pode ser uma opção mais vantajosa.

Uma pesquisa da Sodexo Benefícios revelou que o vale-alimentação oferecido pelas empresas não é suficiente para cobrir as despesas com alimentação durante todo o mês. O valor disponibilizado pelos empregadores é apenas o bastante para bancar as refeições de 11 dias de trabalho, cobrindo apenas metade das refeições dos colaboradores.

Apesar do aumento do valor do vale-refeição neste ano, o reajuste não foi suficiente para acompanhar a alta nos preços dos alimentos vendidos em restaurantes e lanchonetes. Muitos trabalhadores têm recorrido a outras alternativas para conseguir se alimentar. Alguns, por exemplo, têm optado por levar comida de casa, enquanto outros têm buscado estabelecimentos com preços mais acessíveis.

Ariel França
Sou produtor multimídia com mais de 10 anos de experiência. Formado em Jornalismo e pós-graduado em Direito Administrativo e Gestão Pública. Concentro-me em simplificar temas complexos, como finanças, gestão pública e administração, para torná-los acessíveis a todos os públicos. Acredito na importância de uma comunicação responsável e de alta qualidade em todas as mídias, mantendo-me atualizado constantemente para atender às demandas do mercado de forma competente.