Energia mais CARA! Aneel aprova mudanças afetando seriamente estes estados

Os consumidores devem ficar atentos aos comunicados recentes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), pois a energia voltará a ficar mais cara. Conforme decisão tomada na última terça-feira, 4, as tarifas emitidas pelas distribuidoras Energisa e CPFL, passarão por revisões. 

Energia mais CARA! Aneel aprova mudanças afetando seriamente estes estados
Energia mais CARA! Aneel aprova mudanças afetando seriamente estes estados. (Imagem: FDR)

A revisão da tarifa de energia elétrica atingirá os consumidores dos Estados do Mato Grosso (MT), Mato Grosso do Sul (MS) e São Paulo (SP), onde as distribuidoras estão respectivamente instaladas. O reajuste passa a valer a partir do dia 8 de abril, consolidando um processo que já se tornou rotineiro, ocorrendo a cada quatro ou cinco anos. 

A condição da Aneel para aplicar este reajuste na tarifa de energia é baseada em uma análise completa de custos, investimentos e eficiência das operações. A ação tem o objetivo de prezar pelo equilíbrio econômico e financeiro da concessão. 

Na Energisa do Mato Grosso do Sul, a Aneel promoveu um reajuste médio de 9,28% na tarifa de energia elétrica. O percentual terá um impacto de 6,28% para os consumidores de alta tensão e de 10,48% para os de baixa tensão. No que compete exclusivamente à classe residencial, o ajuste será de 9,58%. 

Já na Energia Mato Grosso, o reajuste médio será de 8,81%. O impacto será de 7,29% para os consumidores de alta tensão e de 9,45% para os de baixa tensão. Neste caso, a classe residencial será afetada em 8,62%. 

Enquanto isso, na CPFL Paulista, responsável por atender cidades situadas no interior do Estado, como Campinas e Ribeirão Preto, foi aprovado um reajuste de 4,89% na tarifa de energia elétrica. O resultado será de 5,44% para os consumidores de alta tensão e 4,60% para os de baixa tensão. 

De acordo com a Aneel, o aumento na energia elétrica está relacionado às altas do que se chama de “parcela A”, referente aos custos não gerenciáveis pelas distribuidoras.

Um exemplo é a compra de energia oriunda de geradoras, bem como encargos, tributos e a retirada de itens financeiros que fizeram parte de processos tarifários prévios

Aneel mantém bandeira verde na tarifa de energia

Em contrapartida, os consumidores brasileiros podem celebrar a ótima notícia anunciada pela Aneel. Trata-se do barateamento das contas de luz neste mês de abril. A ação está relacionada ao recente período de chuvas por todo o Brasil.

A decisão da Aneel significa que não haverá cobranças extras nas contas de luz deste mês. A tendência é que a energia elétrica proveniente das hidrelétricas continue em níveis elevados nos reservatórios. Logo, a previsão é para que o período úmido garanta um grau de armazenamento elevado, próximo a 90%

E não para por aí. Ao que parece, a conta de luz não deve se tornar um problema na vida dos brasileiros tão cedo. Segundo informações do diretor da agência reguladora Aneel, Hélvio Guerra, a bandeira verde de energia elétrica deve prevalecer ao longo do ano de 2024. 

O diretor da Aneel também mencionou a ampliação na oferta de energia em 2023, sobretudo a renovável. Trata-se de uma estratégia voltada justamente à manutenção da bandeira verde nas contas de luz, que provavelmente deve continuar vigente no decorrer deste ano.

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.