PicPay garante reembolso em compras no cartão de crédito; veja como acessar

Pontos-chave
  • Saiba como fazer para cancelar uma compra no cartão PicPay
  • Picpay passa a oferecer empréstimo consignado

O PicPay é uma das principais plataformas financeiras do país e milhares de clientes usam os serviços todos os dias. Ao efetuar uma compra no cartão de crédito, em alguns casos, o cliente pode acabar precisando cancelar a compra. Quando isso acontece, saiba como funciona este procedimento no PicPay.

Saiba como funciona o cancelamento de uma compra e o reembolso posterior do valor pago pelo PicPay.

É possível cancelar uma compra?

De acordo com o PicPay, quando uma transação é finalizada, a plataforma não tem autonomia para fazer o cancelamento. Isto pois o PicPay é apenas um meio de pagamento, e a compra em questão poderá ser desfeita somente por quem recebeu o valor.

O PicPay explicava que: o consumidor deve contatar o recebedor para pedir o cancelamento da compra. Para isso, tenha em mãos o comprovante e dados como: nome do estabelecimento, valor a ser estornado, motivo e outros detalhes como data e hora da transação. Caso o cancelamento seja feito, o prazo de estorno é de até 10 dias úteis.

Prazo para receber o valor de volta 

Como explicado acima, o PicPay devolve o valor na fatura em até 10 dias úteis para compras nacionais.

Já em casos de compras internacionais, o IOF é aplicado. O valor dele não é devolvido uma vez que se trata de uma taxa cobrada pelo governo brasileiro sobre operações de crédito, e seu valor é repassado no dia seguinte em que o estabelecimento confirma a operação. Desta forma, mesmo que a compra seja cancelada, a transação ocorreu e por isso, o imposto não será devolvido.

Falha no pagamento

Este não é um erro comum, mas pode acontecer uma falha de comunicação no momento de processar o pagamento. Isto significa que por alguns minutos não foi possível saber se o pagamento foi concluído ou não. Mesmo assim, o valor será creditado na fatura.

Segundo o Picpya, dentro de 5 minutos aparecerá na fatura ou nas movimentações do seu cartão com status em processamento ou não realizado.  Caso não tenha sido realizado, o valor cobrado será devolvido.

Caso o  pagamento não for concluído, o cliente pode fazer uma nova tentativa pelo aplicativo. A falha de comunicação é momentânea, então não deve acontecer em seu novo pagamento.

Precisando de um empréstimo? o PicPay oferece

O consignado do PicPay é voltado para servidores públicos federais e aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

Esta novidade, segundo o vice-presidente de Serviços Financeiros para Pessoa Física, Danilo Caffaro, integra o movimento de diversificação do portfólio da instituição financeira e traz um  acesso a condições mais baratas de crédito.

Consignado do PicPay

A plataforma possui uma taxa de juros que parte de 1,69% e as parcelas são descontadas diretamente da folha de pagamento do trabalhador ou do benefício.

Para contratar o empréstimo consignado na plataforma faça o seguinte:

O consignado, como dito acima, é voltado somente aos servidores públicos federais e aos aposentados e pensionistas do INSS. O PicPay oferece outras modalidades de empréstimo para os demais públicos, como crédito pessoal e empréstimos entre pessoas e entre empresas.

Bx Blue

A fintech BX Blue opera um marketplace de crédito consignado em que bancos ofertam o crédito aos seus clientes. Neste marketplace estão incluídas instituições como Banco do Brasil, BRB, Daycoval, Banrisul e Bradesco.

No total, a BX Blue possui 1 milhão de clientes registrados e já processou cerca de R$ 2,4 bilhões em contratos desde sua chegada ao mercado. Em breve, o marketplace será incluído nas plataformas do PicPay.

“Ao unir forças com o PicPay, nossa entrega de valor aumenta exponencialmente. Tanto para os bancos parceiros, que vão poder ter acesso à gigante base do PicPay quanto para os usuários, que continuam com a melhor experiência de empréstimo, mas agora somada a uma ampla gama de serviços para realizar e resolver toda a vida financeira”, disse Gustavo Gorenstein, cofundador da BX ao Estadão.

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.
Sair da versão mobile