DECIDIDO! Lula aprova nova taxa de juros para empréstimos de aposentados do INSS

A linha de crédito que beneficia pensionistas e aposentados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) sofreu uma série de mudanças nos últimos dias. Depois de ter ficado mais de 10 dias suspenso pelos bancos, uma nova taxa de juros foi decidida pelo presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) retomando a concessão do crédito consignado. A nova taxa já foi aprovada pelo Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS).

Decidido! Lula aprova novo juros pra empréstimo de aposentados do INSS
Decidido! Lula aprova novo juros pra empréstimo de aposentados do INSS (Imagem: FDR)

Tudo começou no dia 13 de março quando o CNPS aprovou uma nova taxa de juros para consignado de aposentados do INSS. Naquela ocasião, por sugestão do ministro da Previdência Social, Carlos Lupi, a taxa caiu de no máximo 2,14% para 1,70% ao mês. Com a cobrança nesse valor os bancos privados e até mesmo os públicos se recusaram a oferecer o empréstimo.

A medida que deveria ser benéfica para aposentados e pensionistas acabou se tornando polêmica. A taxa de juros havia sido aprovada sem antes passar pelo ministério da Fazenda, ou da Casa Civil, o que segundo fontes do governo, gerou um mal estar entre Carlos Lupi e os demais ministros. Diante da oposição dos bancos ao oferecimento do crédito consignado para esse grupo, uma nova reunião foi proposta.

Como já havia sido previsto pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa, na tarde dessa terça-feira (28), o governo federal anunciou um novo teto de juros para o consignado de aposentados do INSS. O valor foi definido pelo presidente Lula, junto a aprovação do Conselho e fica dentro das exigências dos bancos.

Nova taxa de juros para o consignado de aposentados do INSS

Conforme apurado pela imprensa, sem que os ministros chegassem a um consenso foi preciso que o presidente Lula batesse o martelo sobre os juros do empréstimo consignado. As negociações entre representantes dos bancos e o Ministério da Fazenda solicitavam que a taxa ficasse em 1,99% para que voltasse a ficar disponível para aposentados do INSS. 

Em contrapartida, beneficiados da Previdência defendiam que o valor fossem de no máximo 1,90% ao mês. Buscando atender os dois públicos a decisão foi de que a cobrança seja:

Agora, resta os bancos voltarem a oferecer o empréstimo dentro dessas condições.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: [email protected]