Mal começou o ano e brasileiros já gastaram valor surpreendente em impostos

O Brasil é um dos países onde mais se paga imposto no mundo. Infelizmente isso parece que não irá mudar nem tão cedo e a cada ano que passa, a quantia paga de tributos cresce de maneira mais acelerada. Saiba o quanto já foi pago de impostos até o momento no país neste ano. 

Somente neste ano, os brasileiros já pagaram R$500 bilhões em impostos. Esta quantia foi atingida quatro dias antes do que em 2022, de acordo com o Impostômetro, sistema da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) que mostra o quanto o país recolheu de tributos e exibe o dado em um painel instalado no centro de São Paulo.

O impostômetro faz a medição em tempo real da arrecadação de impostos, taxas e contribuições nas esferas federal, estadual e municipal. Segundo a análise do economista da ACSP, Marcel Solimeo, aconteceu um aumento na arrecadação em decorrência do aumento nos preços e inflação acumulada para o período.

A marca de R$500 bilhões pagos em impostos foi atingida na última quinta, 23, às 16h01.

Os preços das passagem aéreas e hotéis para o período de carnaval, são um exemplo deste crescimento dos preços. No caso das passagens aéreas, foi detectado um aumento de 9,25%, em 2019, para 22% este ano na tributação. O motivo desta elevação foi o encarecimento do combustível de aviação.

A regra de tributação de produtos considera o quanto aquele item é mais importante para as pessoas. Quanto mais importante, mais baixa deve ser sua tributação. Por conta disso, a tributação de artigos classificados como supérfluos, de luxo e itens que prejudicam à saúde, são mais altas. E são justamente esses itens, que são mais consumidos nessa época do ano.

Impostos em 2022

No ano passado, os brasileiros pagaram R$ 2.890.489.835.290,32 (R$ 2,89 trilhões) em tributos. O total revela um aumento de 11,5% quando comparado a 2021, quando foram arrecadados R$ 2,6 trilhões.

Na visão de Ulisses Ruiz de Gamboa, economista do Instituto Gastão Vidigal, da ACSP, este aumento registrado no ano passado aconteceu devido a maior arrecadação de tributos federais, mesmo com as desonerações promovidas pelo governo, como aconteceu com os combustíveis, energia elétrica e telecomunicações.

“Adicionalmente, ainda, tivemos inflação em níveis elevados, o que encarece produtos e serviços”, explicou no comunicado à imprensa. “A nossa carga tributária continua sendo elevada para os padrões de um país emergente. A reforma administrativa e a contenção dos gastos públicos são alguns dos caminhos para diminuir o peso dos impostos”, disse ele ao Valor Investe.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Paulo AmorimPaulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.