3 motivos que decretam a poupança como uma armadilha para o seu dinheiro

A famosa Caderneta de Poupança é o investimento mais tradicional aqui no Brasil. De acordo com o “Raio-X do Investidor 2022”, feito pela Anbima, a Poupança continua sendo o investimento mais escolhido pelos brasileiros. Porém, por conta disso, muita gente está “comendo bola”.

O que é a conta poupança?

A poupança é uma opção de conta bancária disponível em praticamente todos os bancos, cujo objetivo é ajudar o titular a poupar dinheiro. Essa é uma das aplicações mais conhecidas e utilizadas pelos brasileiros. Regulada pelo Banco Central, a poupança, tem como foco permitir que as pessoas poupem de forma descomplicada.

A poupança é considerada uma opção conservadora e de baixo risco de crédito. Além de ser abrangida pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC) que dá mais tranquilidade ao investidor iniciante.

Vale a pena investir na Poupança?

Apesar de sua segurança, a conta poupança tem uma rentabilidade muito baixa quando comparada a investimentos de Renda Fixa tão ou mais seguros quanto essa caderneta.

Gustavo Dourado, especialista em investimentos, levantou os principais motivos que decretam a poupança como uma armadilha para o seu dinheiro:

A poupança tem baixo rendimento

Rentabilidade da poupança

Atualmente, o rendimento da poupança é calculado seguindo a regra de que, se a taxa Selic estiver acima de 8,5%, o retorno será composto por 6,17% mais a variação da TR (Taxa Referencial). Entretanto, caso a taxa Selic caia para abaixo de 8,5%, a poupança renderá apenas 70% da Selic.

Isso quer dizer que hoje, com a Selic em 13,75% a poupança terá apenas o rendimento de 6,17%+TR. Em 2022, a TR foi de 1,645%, segundo informações divulgadas pelo Banco Central.

Assim, se no decorrer do ano a Selic aumentar, indo para um percentual de 14% ou 14,25%, por exemplo, não haveria nenhuma mudança quanto a rentabilidade da poupança, continuando os mesmos 6,17%+TR.

Rentabilidade do Tesouro Selic

O Tesouro Selic é o título público que mais se aproxima da dinâmica da poupança, mas com alguns diferenciais, dentre eles: uma rentabilidade maior, mesmo sendo um investimento com incidência do Imposto de Renda (IR).

Os títulos públicos do governo federal são os investimentos mais seguros do país e o Tesouro Selic é o que possui menor risco de todos. Sua rentabilidade é atrelada à Taxa Selic, ou seja, acompanha de perto o seu movimento.

Isso quer dizer que, diferente da poupança, numa eventual subida da taxa de juros, o Tesouro Selic, faria um acompanhamento muito mais eficiente. E sim, ele rende mais do que a poupança. Atualmente, a diferença chega a ser positiva em mais de 2% para o Tesouro Selic.

A forma de rentabilizar prejudica o rendimento

A poupança tem uma forma de rentabilizar o dinheiro aplicado muito desfavorável ao usuário. A base de medição é o aniversário de um mês referente ao valor depositado, ou seja, quando o valor aplicado completa o período informado a rentabilidade cai na conta.

“Se houver vários depósitos, as datas de aniversário também serão diferentes. Por exemplo, se você fizer um depósito no dia 10 de um mês e outro no 25 do mesmo mês, as rentabilidades serão baseadas nos valores depositados em cada data”, explica Dourado, que também é autor no portal Me Ajuda! Finanças.

A rentabilidade referente ao depósito do dia 10 será calculada no aniversário desta data no mês seguinte, enquanto a rentabilidade referente ao depósito de 25 será calculada no aniversário desta data no mês seguinte.

Rentabilidade pelo menor saldo

A rentabilidade da poupança é sempre pelo menor saldo, o que complica ainda mais a rentabilidade da conta.

Para exemplificar, vamos supor que foi aplicado o valor de R$ 1000,00 reais e que um dia antes da data de aniversário foi preciso realizar um saque no valor de R$ 950,00 para uma emergência.

Na data de aniversário, a rentabilidade paga por todo o período de um mês investido será apenas sobre o valor de R$ 50,00 reais.

A dificuldade de bater a inflação

Dourado, que também participa da gestão de 2,5 bilhões em recursos previdenciários, aponta outro problema da poupança: a inflação. Esta pode acabar corroendo o valor do seu dinheiro ao longo do tempo. Isso significa que, mesmo que você esteja poupando dinheiro, a inflação pode fazer com que o seu poder de compra seja muito menor ao longo dos anos.

Apesar de ter tido rentabilidade acima da inflação no ano passado, a poupança, não tinha um rendimento anual dessa monta desde 2018. Além disso, o percentual que ultrapassou a inflação no período foi de apenas de 0,85%. Para se ter um parâmetro, nos últimos dez anos, essa aplicação perdeu para a inflação em cinco deles.

A previsão de alta do IPCA para o final de 2023, segundo o Boletim Focus de 30 de janeiro, é de 5,74%, com sete semanas de altas seguidas, mostrando que ainda há muita incerteza quanto a inflação no país.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Victor Barboza
Meu nome é Victor Lavagnini Barboza, sou especialista em finanças e editor-chefe do FDR, responsável pelas áreas de finanças, investimentos, carreiras e negócios. Sou graduado em Gestão Financeira pela Estácio e possuo especializações em Gestão de Negócios pela USP/ESALQ, Investimentos pela UNIBTA e Ciências Comportamentais pela Unisinos. Atuo no mundo financeiro desde 2012, com passagens em empresas como Motriz, Tendere, Strategy Manager e Campinas Tech. Também possuo trabalho acadêmicos nas áreas de gestão e finanças pela Unicamp e pela USP. Ministro aulas, cursos e palestras e já produzi conteúdos para diversos canais, nas temáticas de finanças pessoais, investimentos, educação financeira, fintechs, negócios, empreendedorismo, psicologia econômica e franquias. Sou fundador da GFCriativa e co-fundador da Fincatch.