Bônus no Bolsa Família pode beneficiar NOVO grupo e pagar até um salário mínimo

O pagamento do Bolsa Família deve voltar a ser feito por meados de março. Até lá, vale o Auxílio Brasil criado em 2021 pelo governo de Jair Bolsonaro (PL). Para mantê-lo, no entanto, o presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) assinou uma medida provisória prorrogando o valor de R$ 600 para o benefício em 2023. A quantia, porém, pode ficar ainda maior para determinados grupos.

Bônus no Bolsa Família pode beneficiar NOVO grupo e pagar até um salário mínimo
Bônus no Bolsa Família pode beneficiar NOVO grupo e pagar até um salário mínimo (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

O governo Lula prometeu que relançaria o Bolsa Família em seu terceiro mandato, e deve cumprir essa promessa até o primeiro trimestre desse ano. A troca de nomes tem cunho político, já que o Bolsa é uma marca social fortemente ligada ao governo petista. Mas não é só isso, essa mudança traz também algumas novidades para as famílias de baixa renda. 

A primeira é a fixação do valor de R$ 600 para todo o ano, sendo que no Auxílio Brasil essa quantia era temporária e terminou em dezembro de 2022. A quantia original do auxílio era de R$ 400, por isso foi preciso mais orçamento a fim de conseguir liberar o valor maior a todos os contemplados.

Outra novidade é a adição de um bônus de R$ 150 para crianças de até seis anos, podendo chegar ultrapassar R$ 750 por mês. Mas essas mudanças podem se tornar ainda mais atrativas financeiramente, isso porque, o Bolsa Família tem a chance de chegar a um salário mínimo para grupos indígenas. 

Como funciona o bônus no Bolsa Família?

Além do adicional de R$ 150 para crianças de até seis anos, outro adicional pode ser aprovado no Bolsa Família resultando no valor total de um salário mínimo. Trata-se do Projeto de Lei 2956/22, do deputado Carlos Henrique Gaguim (União-TO).

No projeto, o deputado menciona o valor original do Auxílio Brasil que seria de R$ 400 e a inclusão do adicional de R$ 200 chamado de benefício extraordinário. Com essa inclusão o valor total do programa ficou em R$ 600 no último ano, e em 2023 também.

A solicitação de Gaguim por meio do projeto de lei é de que o benefício extraordinário seja superior a R$ 200, e alcance quantia suficiente que fique equivalente ao salário mínimo do país. Mas, essa adição valeria exclusivamente para famílias indígenas.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila CunhaLila Cunha
Autora é jornalista e atua na profissão desde 2013. Apaixonada pela área de comunicação e do universo audiovisual. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com