Reajuste do salário mínimo aumenta o valor desses benefícios a partir de janeiro

Pontos-chave
  • Bolsonaro e Lula apresentam valores diferentes para o salário mínimo de 2023;
  • Para que o salário mínimo proposto por Lula seja aprovado, será preciso mais verba;
  • Benefícios sociais e trabalhistas serão diretamente afetados.

Como de costume, logo no início de janeiro o governo federal deve publicar o decreto com o reajuste do salário mínimo. A Constituição Federal estabelece que haja essa mudança anualmente, permitindo que o brasileiro tenha poder de compra. Acontece que além da alteração no piso a ser pago para trabalhadores com carteira assinada, a mudança interfere ainda no valor de benefícios.

Reajuste do salário mínimo aumenta o valor desses benefícios a partir de janeiro
Reajuste do salário mínimo aumenta o valor desses benefícios a partir de janeiro (Imagem: FDR)

O reajuste do salário mínimo de 2023 não deve levar em conta apenas a inflação de 2022, como tem acontecido no governo de Jair Bolsonaro (PL), em que a referência é apenas o índice inflacionário do ano anterior. Usando esse método o piso nacional não dá ao trabalhador ganho real, porque não fica acima da inflação, logo não é reajustado acima do que passou a valer para produtos e serviços.

Esse modelo de cálculo adotado na gestão bolsonarista foi alvo de fortes críticas durante a campanha presidencial de Luís Inácio Lula da Silva (PT). Tanto que o presidente eleito afirmou que ajustaria o salário mínimo acima da inflação, voltando a usar no cálculo o PIB (Produto Interno Bruto), como acontecia até antes de Bolsonaro assumir a presidência.

Acontece que para conseguir esse reajuste do salário mínimo, o novo governo precisará explicar como pretende bancar o aumento. Isso porque, essa mudança tem impacto direto nos cofres públicos, já que é a base usada para o pagamento de benefícios sociais e trabalhistas.

Novo valor do salário mínimo em 2023

Existem dois cenários de reajuste do salário mínimo, considerando valores diferentes a depender de qual ordem presidencial deve ser seguida. Neste mês de dezembro, o presidente Jair Bolsonaro editou uma Medida Provisória (MP) estabelecendo o valor do piso salarial para 2023.

Em contrapartida, Lula e sua equipe de transição já demonstraram interesse em inserir no Orçamento de 2023, junto com a aprovação do relator, senador Marcelo Castro (MDB-PI), uma quantia ainda maior. Para isso, seria preciso usar cerca de R$ 6 bilhões que ficarão disponíveis por meio da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) usada para bancar o Bolsa Família

  • Valor do salário mínimo aprovado por Bolsonaro: R$ 1.302,00;
  • Valor do salário mínimo proposto por Lula: R$ 1.320,00.

A proposta de Lula, com reajuste pelo menos 3% acima da inflação, ainda precisa mostrar como vai ser bancado.

Reajuste do salário mínimo interfere nos benefícios sociais

O reajuste do salário mínimo será usado automaticamente como referência para pagar benefícios sociais e trabalhistas. Alterando as seguintes liberações.

Pagamentos do INSS

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) usa como referência o reajuste do salário mínimo para pagamento do piso dos seus benefícios, pensões e aposentadorias. Isso significa que nenhum pagamento previdenciário pode ser inferior ao piso nacional.

  • Pagamento mínimo: entre R$ 1.302 a R$ 1.320;
  • Pagamento máximo: em torno de R$ 7.500 (reajustado com base na inflação);
  • Pagamento do BPC (Benefício de Prestação Continuada): igual ao salário mínimo.

Abono salarial do PIS/PASEP

Diferente do INSS, no caso do abono salarial PIS/PASEP o pagamento não pode ser superior ao salário mínimo de 2023. O mínimo a ser recebido é igual ao 1/12 do piso do próximo ano, pago para quem trabalhou 1 mês no ano de 2021, subindo progressivamente até chegar a 12/12.

Reajuste do salário mínimo a R$ 1.302,00.

  • 1 mês trabalhado – R$ 108,50;
  • 2 meses trabalhados – R$ 217,00;
  • 3 meses trabalhados – R$ 325,50;
  • 4 meses trabalhados – R$ 434,00;
  • 5 meses trabalhados – R$ 542,50;
  • 6 meses trabalhados – R$ 651,00;
  • 7 meses trabalhados – R$ 759,50;
  • 8 meses trabalhados – R$ 868,00;
  • 9 meses trabalhados – R$ 976,50;
  • 10 meses trabalhados – R$ 1.085,00;
  • 11 meses trabalhados – R$ 1.193,50;
  • 12 meses trabalhados – R$ 1.302.

Salário mínimo a R$ 1.320,00.

  • 1 mês trabalhado – R$ 110,00;
  • 2 meses trabalhados – R$ 120,00;
  • 3 meses trabalhados – R$ 330,00;
  • 4 meses trabalhados – R$ 440,00;
  • 5 meses trabalhados – R$ 550,00;
  • 6 meses trabalhados – R$ 660,00;
  • 7 meses trabalhados – R$ 770,00;
  • 8 meses trabalhados – R$ 880,00;
  • 9 meses trabalhados – R$ 990,00;
  • 10 meses trabalhados – R$ 1.100,00;
  • 11 meses trabalhados – R$ 1.210,00;
  • 12 meses trabalhados – R$ 1.320,00.

Seguro desemprego

O pagamento mínimo do seguro desemprego também será alterado com base no reajuste do salário mínimo. O máximo a ser recebido vai variar de acordo com a inflação de 2022, resultado que ainda não foi divulgado. Serão até cinco parcelas recebidas em nome do programa para aqueles que forem dispensados sem justa causa.

O valor total disponibilizado no seguro desemprego vai levar em conta a média dos três últimos salários recebidos pelo funcionário, e registrados em folha. A quantia não poderá ser menor que o piso de 2023, ou seja, de R$ 1.302 a R$ 1.320.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Lila CunhaLila Cunha
Formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) desde 2018. Já atuou em jornal impresso. Trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional. Especialista na produção de matérias sobre direitos e benefícios sociais. Suas redes sociais são: @liilacunhaa, e-mail: lilacunha.fdr@gmail.com