FOBIA financeira está cada vez mais comum. Descubra se você tem

Todo mundo já sentiu medo, pelo menos, alguma vez na vida. Porém, quando esse medo se torna exagerado, torna-se uma fobia. A ansiedade ao lidar sobre o dinheiro também está gerando uma fobia financeira.

FOBIA financeira está cada vez mais comum. Descubra se você tem
FOBIA financeira está cada vez mais comum. Descubra se você tem (Imagem: FDR)

A estimativa é que 20% da população mundial sofre com alguma fobia. O medo pode ser de qualquer coisa, inclusive na dificuldade de lidar com questões cotidianas sobre o dinheiro. A fobia financeira gera tontura, falta de ar, entre outros sintomas.

As pessoas que sentem esses sintomas afirmam que é desencadeada quando consultam extratos bancários ou, até mesmo, quando pensam sobre o próprio dinheiro. Assim, acabam tendo comportamentos extremos quanto ao consumo.

Dessa maneira, fazem compras exageradas ou deixam faltar o essencial. Essas dificuldades aparecem após passarem por associações negativas. As mais comuns são crise financeira e necessidade urgente de dinheiro.

Educação financeira

Muito tem se discutido sobre a importância de ter uma educação financeira desde a infância. Por isso, deve ser tratado na família e na escola. Assim, será possível ter adultos mais conscientes e responsáveis financeiramente.

Porém, muitas famílias consideram o assunto um tabu. Essa visão está muito relacionada com a atual fobia financeira. Por esse motivo, o tema está entre as discussões e há um movimento para torná-lo parte da rotina familiar.

Pensando nisso, muitas escolas já tratam sobre o tema nas aulas de matemática, por meio de projetos, ou criando uma disciplina específica. Mesmo assim, as instituições buscam discutir o tema entre os pais.

Fobia financeira é gerada por associações negativas

A falta de uma educação financeira tem gerado um contato ruim com o dinheiro. O primeiro ponto é não saber valorizar a conquista. Muitos encaram como um presente e, por isso, gastam sem nenhuma consciência.

Outra forma de encarar o dinheiro de forma ruim é só pensar no prazer imediato e não na conquista futura. Nesse caso, as pessoas pagam o consumo do dia anterior. A falta de planejamento gera a desordem financeira.

Por fim, a falta de um autocuidado impede as pessoas de se encarar como prioridade. Por esse motivo, não planeja para viver um futuro melhor. Geralmente, esses pensam que alguém irá cuidar deles em uma necessidade.

Entre na comunidade do FDR e receba informações gratuitas no seu Whatsapp!

Glaucia AlvesGlaucia Alves
Formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar na equipe do FDR, produzindo conteúdo sobre finanças e carreira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência.