Beneficiários do AUXÍLIO BRASIL questionam o valor do projeto; entenda

De acordo com uma pesquisa publicada pelo instituto Datafolha na segunda-feira (1), mais de 50% dos beneficiados pelo Auxílio Brasil consideram o pagamento de R$ 600 insuficiente. Na realidade, o valor pago pelo benefício é de R$ 400, mas após uma manobra do governo federal o auxílio receberá bônus de R$ 200 até dezembro deste ano.

publicidade
Beneficiários do AUXÍLIO BRASIL questionam o valor do projeto; entenda
Beneficiários do AUXÍLIO BRASIL questionam o valor do projeto; entenda (Imagem: FDR)

Foram ouvidos 2.566 eleitores, entre os dias 27 e 28 de julho em 183 cidades brasileiras. Tendo dois pontos como margem de erro, o Datafolha concluiu que 54% dos beneficiados com o Auxílio Brasil consideram o valor de R$ 600 insuficiente. Enquanto 38% acreditam que a quantia é suficiente, e outros 8% classificam como mais que suficiente.

No público geral, isto é, sem considerar aqueles que são recebedores do programa social, 56% acreditam que R$ 600 não são suficientes. Enquanto 36% concorda com o valor, classificando-o como suficiente, e outros 7% acham que a quantia é mais que suficiente.

publicidade

Para comparar os valores, em maio quando a quantia oferecida era de R$ 400 pelo menos 69% dos entrevistados da época acreditavam que o valor era insuficiente. Enquanto 29% disseram que era suficiente e 2% afirmaram que era mais que suficiente.

A maior parte dos beneficiados com o Auxílio Brasil são mulheres, cerca de 63% do público. De maio para julho o número de pessoas que recebem ou moram com algum recebedor subiu, foi de 21% para 25%.

Auxílio Brasil turbinado de R$ 600

A partir do dia 9 de agosto começa a ser distribuída a primeira parcela do Auxílio Brasil de R$ 600. Em uma ação inédita do governo o calendário foi antecipado para a primeira quinzena do mês, normalmente o repasse acontece nos últimos dez dias úteis.

O programa vai contar com adicional de R$ 200 até dezembro de 2022, para isso o presidente Jair Bolsonaro (PL) sancionou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) n° 1/2022. Ao decretar estado de emergência no país a medida liberou R$ 41,2 bilhões aos cofres públicos para investimento em benefícios sociais.

Para o Auxílio Brasil foram pouco mais de R$ 21 bilhões para aumentar as parcelas e incluir aproximadamente mais 1,7 milhões de famílias. Apoiadores do presidente acreditam que esta seja uma forma certeira de conseguir aumentar as chances de reeleição de Bolsonaro. 

E a estratégia foi percebida pelos eleitores, 61% dos entrevistados pelo Datafolha disseram que o que motivou o governo a aumentar o Auxílio Brasil foi o interesse em ganhar votos. Enquanto 31% disseram que era para ajudar quem está precisando, e 6% acreditam que era para ganhar votos e ajudar quem está precisando.

publicidade

Em contra partida, quando questionados sobre o mesmo assunto apenas aqueles que apoiam o atual governo, 68% dizem que a medida foi criada para ajudar os mais pobres. E outros 20% enxergam o aumento no Auxílio Brasil como estratégia para ganhar votos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Lila Cunha
Lila Cunha é formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atua como repórter especial para o portal FDR. É responsável por selecionar as informações abordadas e garantir o padrão de qualidade das notícias veiculadas. Além disso, trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional.