INVESTIGAÇÃO: Governo é acusado de pagar AUXÍLIO EMERGENCIAL a 135 mil mortos; entenda

Por meio do relatório de auditoria da Controladoria-Geral da União (CGU), foi descoberto o pagamento do auxílio emergencial para 135 mil pessoas que já estão mortas. Isto é, foram repassadas para CPFs inativos, de brasileiros falecidos. Além disso, o benefício chegou a ser pago à menores de idade, membros das Forças Armadas, agentes públicos e trabalhadores formais.

publicidade
INVESTIGAÇÃO: Governo é acusado de pagar AUXÍLIO EMERGENCIAL a 135 mil mortos; entenda
INVESTIGAÇÃO: Governo é acusado de pagar AUXÍLIO EMERGENCIAL a 135 mil mortos; entenda (Imagem: FDR)

Devido aos pagamentos indevidos, os prejuízos causados aos cofres públicos chegam a quase R$ 11,3 bilhões somando o auxílio emergencial de 2020 e 2021. Os pagamentos fraudulentos foram feitos para 5,2 milhões de beneficiários, o que representa 7,7% do total dos recebedores. As primeiras parcelas do auxílio foram de no mínimo R$ 600 em 2020, e mínimo de R$ 150 no ano seguinte.

Quando ao fazer o cruzamento de dados o governo federal entendia que o auxílio emergencial chegou de forma indevida, foi solicitada a devolução do valor. De acordo com a CGU, 9,97% do valor pago indevidamente foi devolvido, aproximadamente R$ 1,1 bilhão.

publicidade

O Ministério da Cidadania admitiu que houveram falhas nos repasses do benefício. “fazíamos a avaliação do óbito pelo CPF da pessoa sem utilização da data de nascimento para uma dupla checagem“, disse a pasta em resposta ao CGU.

Para reconhecer as fraudes, o CGU cruzou dados do auxílio emergencial com outras bases do próprio governo federal a respeito do reconhecimento destas pessoas. Na época de pagamento deste benefício, foram beneficiadas 68,2 milhões de brasileiros impactos com a crise econômica da Covid-19.

O grande diferencial deste pagamento é que mais de uma pessoa da mesma família poderia ser contemplada pela ajuda em 2020. Além disso, mães solteiras tinham acesso ao valor mensal de R$ 1.200.

Auxílio emergencial retroativo

Neste mês de julho de 2022, o site do Dataprev disponibilizou a consulta ao auxílio emergencial retroativo. A ideia é que principalmente os pais solteiros chefes de famílias possam consultar se têm direito de receber as parcelas que não foram liberadas nos anos anteriores.

O pagamento tem sido feito para aqueles que cumprem como os requisitos de:

  • Ser homem chefe de família monoparental;
  • Estar inscrito no CadÚnico até o dia 2 de abril de 2020;
  • Não possuir cônjuge ou companheira;
  • Ter efetuado o cadastro do Auxílio Emergencial através das plataformas digitais até o dia 2 de julho de 2020, prazo final para ter feito a inscrição no programa;
  • Estar cadastrado como “Responsável Familiar”;
  • Ter recebido cota simples do Auxílio Emergencial;
  • Ter na família pessoas menores de 18 anos de idade.
publicidade

A consulta para conferir se tem direito ao valor que pode chegar a R$ 3 mil, é feita no site do Dataprev informando número de CPF.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Lila Cunha
Lila Cunha é formada em jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Atua como repórter especial para o portal FDR. É responsável por selecionar as informações abordadas e garantir o padrão de qualidade das notícias veiculadas. Além disso, trabalha com apuração de hard news desde 2019, cobrindo o universo econômico em escala nacional.