LULA revela NOVO MEDO de BOLSONARO durante as ELEIÇÕES DE 2022; confira

O ex-presidente e pré-candidato às eleições de 2022, Luiz Inácio Lula da Silva, comentou sobre os ataques às urnas eletrônicas feitos pelo atual chefe do Executivo Nacional, Jair Bolsonaro. O petista disse enxergar desespero nas atitudes do rival e afirmou não ter medo desta disputa. 

publicidade
ELEIÇÕES LULA revela NOVO MEDO de BOLSONARO durante as ELEIÇÕES DE 2022; confira: LULA abre 6 pontos em VANTAGEM à frente de BOLSONARO
LULA revela NOVO MEDO de BOLSONARO durante as ELEIÇÕES DE 2022; confira. (Imagem; FDR)

Na oportunidade, Lula comparou Bolsonaro ao ex-presidente dos Estados Unidos da América (EUA), Donald Trump, idolatrado pelo presidente. A comparação foi feita em alusão às medidas drásticas e desesperadas visando o apoio da população para as eleições de 2022

“Bolsonaro quer criar uma confusão como Trump fez nos EUA. Quer criar suspeitas onde não tem. Está tentando enganar o povo para justificar uma bobagem qualquer. Ele não está com medo da urna eletrônica, está com medo do povo brasileiro”, comentou Lula.

publicidade

Durante uma apresentação voltada aos embaixadores no Palácio do Planalto na última segunda-feira (18), Bolsonaro não perdeu a oportunidade de retomar as suspeitas deflagradas por ele em 2018 quanto à eficácia e veracidade das urnas eletrônicas. E não é só isso, ele também aproveitou para atacar Lula e os ministros Luiz Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin

Lula fica à frente nas pesquisas para as eleições de 2022

A corrida para as eleições de 2022 continua acirrada, embora um candidato continue se sobressaindo nas pesquisas. Pelo levantamento do PoderData, o ex-presidente e pré-candidato, Lula, está seis pontos à frente de Bolsonaro

A pesquisa sobre as eleições de 2022 foi realizada entre os dias 17 e 19 de julho. Neste período, as respostas apresentadas pelos três mil entrevistados colocaram o petista com 43% das intenções de voto, contra 37% para o atual presidente da República, Jair Bolsonaro

A vantagem de Lula sobre Bolsonaro em seis pontos percentuais nas eleições de 2022, é a maior já registrada desde abril deste ano. Na época, as pesquisas eleitorais começaram a ser realizadas com maior enfoque devido à alta taxa inflacionária e o aumento nos preços dos combustíveis.

Vale pontuar que os dois candidatos apresentam variações dentro da margem de erro de dois pontos percentuais para mais e para menos nos últimos 15 dias. Enquanto Lula oscilou de 44% para 43%, Bolsonaro teve uma variação de 36% para 37%.

Acusação de fraude nas urnas eletrônicas ameaça eleições de 2022

Anos atrás, em junho de 2002, durante a pré-campanha eleitoral, Lula também levantou dúvidas sobre a eficácia das urnas eletrônicas. Na época ele fez o seguinte comentário: 

publicidade

“Nada é infalível, só Deus. Vamos pegar o que aconteceu aqui, quantas denúncias já foram feitas de defunto que vota, de cidades que têm mais eleitores que habitantes”, declarou na época. 

Lula reconhece a desconfiança de duas décadas atrás, mas reconhece que, desde então, já a confiabilidade no sistema já foi comprovada. Em nota, ele declarou que os votos são registrados por urna e que a soma de urnas pode ser checada.

“Todo mundo sabe que essas bobagens de Bolsonaro sobre urnas eletrônicas são porque ele sabe a rejeição ao seu governo e que irá perder a eleição”, concluiu.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.