CESTA BÁSICA sobe em 9 das 17 capitais do país; veja a lista

De acordo com levantamento feito pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o preço da cesta básica aumentou em 9 das 17 capitais onde a entidade realiza a pesquisa. A alta dos preços se deve ao reflexo da inflação sobre os alimentos, a situação tem preocupado o brasileiro que sente no bolso o impacto do problema.

publicidade
Banco Central dos EUA está 'mexendo todos palitos' para controlar a inflação rapidamente
Preço das cestas básicas em 17 capitais do país é divulgado pela Dieese. (Imagem: Montagem/FDR)

O último levantamento foi divulgado nesta quarta-feira (6) e aponta o aumento registrado entre os meses de maio e junho, além da alta semestral e dos últimos 12 meses para os produtos que compõem a cesta básica. Além disso, a pesquisa destaca também que a cesta básica mais cara do país segue sendo a da cidade de São Paulo, custando R$ 777,01, apesar da capital não ter sofrido a maior variação mensal.

Preço das cestas básicas em 17 capitais do país é divulgado pela Dieese

Segundo a pesquisa, as maiores altas de junho foram registradas no Nordeste, nas cidades de Fortaleza (4,54%), Natal (4,33%) e João Pessoa (3,36%). As baixas mais significativas foram notadas no Sul, em Porto Alegre (-1,90%), Curitiba (-1,74%) e Florianópolis (-1,51%). 

publicidade

Confira a lista completa com o preço médio da cesta básica em junho, por capital:

  1. São Paulo: R$ 777,01
  2. Florianópolis: R$ 760,41
  3. Porto Alegre: R$ 754,19
  4. Rio de Janeiro: R$ 733,14
  5. Campo Grande: R$ 702,65
  6. Curitiba: R$ 701,26
  7. Brasília: R$ 698,36
  8. Vitória: R$ 692,84 
  9. Goiânia: R$ 674,08
  10. Fortaleza: R$ 657,00
  11. Belo Horizonte: R$ 648,77
  12. Belém: R$ 632,26
  13. Recife: R$ 612,34
  14. Natal: R$ 611,79
  15. João Pessoa: R$ 586,73
  16. Salvador: R$ 580,82
  17. Aracaju: R$ 549,91

Fonte: Dieese

A comparação entre o valor da cesta básica dos meses de junho de 2022 e junho de 2021 apontam alta em todas as capitais, sendo a menor em Vitória (13,34%) e a maior em Recife (26,54%).

Em junho, o salário mínimo ideal seria de R$ 6.527,67

A alta da inflação traz à tona o debate sobre o salário mínimo brasileiro, que atualmente tem o piso de R$ 1212. Segundo a pesquisa do Dieese, o valor está longe do ideal, já que no mês de junho, de acordo com o preço médio da cesta básica, o brasileiro precisa comprometer 59,68%. Dessa forma, o salário ideal calculado pela entidade seria de R$ 6.527,67.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

O cálculo leva em consideração a determinação constitucional que afirma que o salário mínimo deve suprir as despesas básicas de alimentação, moradia, saúde, educação, higiene, transporte, vestuário, previdência e lazer do trabalhador e família.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.