Brasil passa a ter a 4ª pior inflação do mundo; veja os detalhes da pesquisa

Pesquisa aponta que o Brasil passa a ter a 4° pior inflação do mundo. O levantamento foi divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e mostra o índice inflacionário das grandes economias do mundo.

publicidade
Brasil passa a ter a 4ª pior inflação do mundo; veja os detalhes da pesquisa (Imagem: Montagem/FDR)
Brasil passa a ter a 4ª pior inflação do mundo; veja os detalhes da pesquisa (Imagem: Montagem/FDR)

A inflação do Brasil segue em alta como uma das maiores do mundo. No G20, grupo dos países mais ricos, apenas Turquia, Argentina e Rússia registram inflação piores que a do Brasil. A média da Inflação dos últimos 12 meses dos países do grupo atingiu a marca de 8,8% em maio, sendo percebido um crescimento em comparação aos registros anteriores.

Brasil tem a 4° inflação mais alta do mundo

De abril para maio, a média da inflação dos países do G20 em 12 meses foi de 8,5% para 8,8%. Quando visualizada mais a fundo, a inflação também apresenta alta nos países mais ricos. No G7, a taxa subiu de 7,1% para 7,5%. Confira a seguir o levantamento completo das taxas de inflação divulgadas pelo OCDE:

publicidade

Taxa da inflação acumulada em 12 meses até maio das maiores economias do mundo, em %

  1. OCDE 9,6%
  2. G20 8,8%
  3. G7  7,5%
  4. Turquia 73,5%
  5. Argentina 60,7%
  6. Rússia 17,1%
  7. Brasil 11,7%
  8. Estados Unidos 8,6%
  9. Zona do euro 8,1%
  10. Reino Unido 7,9%
  11. Alemanha 7,9%
  12. Canadá 7,7%
  13. México 7,7%
  14. Índia 7,0%
  15. Itália 6,8%
  16. África do Sul 6,6%
  17. França 5,2%
  18. Coréia do Sul 5,4%
  19. Austrália 5,1%
  20. Indonésia 3,6%
  21. Japão 2,5%
  22. Arábia Saudita 2,2%
  23. China 2,1%

Apesar do cenário de aumento da inflação em todo o mundo devido a disparada dos preços dos combustíveis, alimentos e energia, as taxas de inflação com dois dígitos seguem sendo minoria.

Entre os 38 países que integram a OCDE, foram 10 os que ultrapassaram os dois dígitos, sendo eles: Turquia (73,5%), Estônia (20%), Lituânia (18,9%), Letônia (16,9%), República Tcheca (16%), Polônia (13,9%) e Eslováquia (12,6%).

Inflação do Brasil está entre as piores do mundo

Para além do cenário mundial, o Brasil parece não ter sido capaz de cumprir as próprias metas. De acordo com o Banco Central, o país não cumprirá com a meta de inflação pelo segundo ano seguido.

Para que a meta de 2023 de 3,25% possa ser cumprida, o BC elevou em junho a taxa básica de juros para 13,25%, sendo este o maior patamar desde 2016. A Selic deve permanecer em alta durante um período. A meta do próximo ano será considerada dentro dos patamares desejados, se oscilar entre 1,75% e 4,75%. 

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Hannah Aragão
Hannah Aragão é graduanda em jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, a UFPE. Atuou em diversas áreas da comunicação, passando por assessoria, endo marketing, comunicação estratégica e jornalismo impresso. Atualmente, se dedica ao jornalismo online na produção de matérias para o portal FDR.