Títulos do Tesouro Direto voltam a ter aumento das taxas; veja se é boa hora para investir

Nesta terça-feira (21), as taxas dos títulos públicos do Tesouro Direto voltaram a aumentar pela tarde. Nos papéis atrelados à inflação, todos os títulos registraram ganhos na rentabilidade. Nos títulos prefixados, houve movimento de elevação nas taxas curtas e de médio prazo.

Títulos do Tesouro Direto voltam a ter aumento das taxas; veja se é boa hora para investir
Títulos do Tesouro Direto voltam a ter aumento das taxas; veja se é boa hora para investir (Imagem: Montagem/FDR)

Entre os títulos públicos do Tesouro Direto, o maior ganho foi do papel prefixado de médio prazo. Às 15h26, o Tesouro Prefixado 2029 concedia um retorno anual de 12,69%. Nesta segunda-feira (20), a rentabilidade oferecida era de 12,63% para esse título.

Com relação ao Tesouro Prefixado 2025, a taxa anual era de 12,55%, maior que os 12,53% oferecidos na primeira sessão desta semana.

No caso dos títulos atrelados à inflação, houve movimento de elevação nas taxas, de 6 a 12 pontos-base. O maior crescimento foi na rentabilidade do Tesouro IPCA + 2026. Esse papel concedeu ganho real de 5,47%, maior do que os 5,35% oferecidos na sessão anterior.

Ao InfoMoney, o economista-chefe e sócio da Monte Bravo Investimentos, para esse movimento de alta, os ruídos políticos são o pano de fundo — especialmente que envolvem a Petrobras.

O especialista comenta que o mercado também vem dialogando até que ponto o Banco Central pode ou não encerrar o ciclo de alta, da taxa Selic, em agosto. Na interpretação da Monte Bravo Investimentos, o mercado entenderá ser difícil o BC ir muito além da reunião de agosto.

Contudo, na avaliação do economista, no período da tarde, o mercado parece ter apresentado mais cautela — e ainda não retirou totalmente o prêmio da curva de juros.

Estas foram as taxas oferecidas pelos títulos do Tesouro Direto na tarde desta terça-feira:

  • TESOURO PREFIXADO 2025: 12,55%
  • TESOURO PREFIXADO 2029: 12,69%
  • TESOURO PREFIXADO com juros semestrais 2033: 12,79%
  • TESOURO SELIC 2025: SELIC + 0,1102%
  • TESOURO SELIC 2027: SELIC + 0,1591%
  • TESOURO IPCA+ 2026: IPCA + 5,47%
  • TESOURO IPCA+ 2035: IPCA + 5,73%
  • TESOURO IPCA+ 2045: IPCA + 5,73%
  • TESOURO IPCA+ com juros semestrais 2032: IPCA + 5,64%
  • TESOURO IPCA+ com juros semestrais 2040: IPCA + 5,75%
  • TESOURO IPCA+ com juros semestrais 2055: IPCA + 5,88%

Possível investimento em títulos do Tesouro Direto

Em meio à marcação a mercado desta terça, há uma indicação de que os papéis de inflação do Tesouro Direto, em períodos de incertezas macroeconômicas, podem ser considerados para a proteção do poder de compra dos investidores.

Os analistas da Genial Investimentos indicam a aquisição de títulos públicos de inflação com vencimento intermediário (entre 3 e 5 anos). No entanto, ainda existe a recomendação de manter firmes posições em títulos pós-fixados — como o Tesouro Selic.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.