Você sabia? Acordo com empregador que reduz direitos trabalhistas prevalece sobre a lei

Decisão do STF pode mudar a forma como os acordos sobre os direitos trabalhistas são feitos. A decisão é válida para os acordos coletivos, entenda o que pode e o que não pode entrar em negociação.

Você sabia? Acordo com empregador que reduz direitos trabalhistas prevalece sobre a lei
Você sabia? Acordo com empregador que reduz direitos trabalhistas prevalece sobre a lei (Imagem: FDR)

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu no começo desse mês de junho que são válidos tanto os acordos quanto as convenções coletivas que limitam ou suprimem direitos trabalhistas.

No entanto, isso só é possível se nos tópicos dessas negociações não entrarem as garantias que já estão previstas ao trabalhador pela Constituição Federal. A decisão tem repercussão geral, isso significa que de ser seguida pelas instâncias inferiores do Judiciário.

De forma simples, pela decisão do STF a negociação entre empregadores e empregados prevaleceria, no entanto, todos os aspectos que a Constituição determina como direitos do trabalhador não podem entrar em pauta nas negociações.

Direitos trabalhistas garantidos pela Constituição

Para entender melhor essa decisão do STF é necessário saber quais são os direitos trabalhistas que a Constituição, previstos no artigo 611-B, assegura aos empregados, são eles:

  • 13º salário
  • Adicional de horas extras de 50%
  • Adicional de remuneração para atividades penosas, insalubres e perigosas
  • Anotações na carteira de trabalho
  • Aviso prévio proporcional
  • Férias anuais remuneradas com 1/3
  • Fgts (depósito e multa)
  • Licença-maternidade e paternidade
  • Normas de saúde, higiene e segurança do trabalho
  • Número de dias de férias
  • Proteção do mercado de trabalho da mulher
  • Proteção do salário na forma da lei
  • Remuneração do trabalho noturno
  • Repouso semanal remunerado
  • Salário mínimo
  • Salário-família
  • Seguro-desemprego

O que pode ser negociado entre trabalhador e empresa

Por outro lado, alguns pontos podem entrar em negociação em acordos coletivos, são eles:

  • Banco de horas anual
  • Enquadramento do grau de insalubridade
  • Intervalo intrajornada (limite mínimo de 30 minutos em jornadas acima de 6 horas)
  • Modalidade de registro de jornada de trabalho
  • Pacto quanto à jornada de trabalho
  • Participação nos lucros e resultados da empresa
  • Plano de cargos e salários ou cargos de confiança
  • Prêmios de incentivo
  • Prorrogação de jornada em ambientes insalubres
  • Regulamento empresarial
  • Remuneração por produtividade e gorjetas
  • Representante dos trabalhadores no local de trabalho
  • Teletrabalho, regime de sobreaviso e trabalho intermitente
  • Troca do dia de feriado

Para saber mais sobre vagas de emprego, vestibulares e cursos, acompanhe a editoria de Carreiras do FDR.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jamille Novaes
Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora da editoria de carreiras do portal FDR. Jamille utiliza sua experiência na área da educação para cobrir notícias sobre cursos, vestibulares, empregos e concursos.