Inflação acaba com o poder de funcionamento do Auxílio Brasil afetando Bolsonaro

A alta da inflação é uma pauta difícil de lidar até para os mais experientes, aparentemente. O índice já é visto como o grande pesadelo que impacta diretamente em demandas sociais como o Auxílio Brasil, por consequência, afetando Bolsonaro que é pré-candidato às eleições de 2022 e se segura ao programa na esperança de que ele tenha o poder necessário para ajudar na reeleição. 

Inflação acaba com o poder de funcionamento do Auxílio Brasil afetando Bolsonaro
Inflação acaba com o poder de funcionamento do Auxílio Brasil afetando Bolsonaro. (Imagem: FDR)

Apesar de a implementação do Auxílio Brasil ter expandido a capacidade de atendimento às famílias em situação de vulnerabilidade social, bem como o poder de compra em relação à cesta básica, com o passar do tempo a queda sobre o mesmo fator já foi notada.

Dados apurados pelo Broadcast Político apontam que o Auxílio Brasil começou a se equiparar ao nível do Bolsa Família no final do primeiro ano de mandato da ex-presidente Dilma Rousseff.

O Auxílio Brasil foi lançado em novembro de 2021, surgindo como um substituto ao Bolsa Família logo após sua extinção depois de quase 20 anos em vigor. Os impactos da inflação sobre o programa social caracterizam uma ameaça a um dos pilares da estratégia política adotada por Bolsonaro com foco no enfrentamento direto contra o maior rival, Luiz Inácio Lula da Silva. 

Queda no poder de compra do Auxílio Brasil

Quando o Auxílio Brasil começou a vigorar, as primeiras parcelas pagas não chegaram à média de R$ 250. Nos primeiros meses, era disponibilizada a quantia de R$ 217,18 que, ainda assim, supera os R$ 191 pagos pelo Bolsa Família às 13,6 milhões de famílias vulneráveis. 

Hoje, a transferência de renda foi fixada em R$ 400 para mais de 18 milhões de grupos familiares. Ainda existe a possibilidade de elevar o valor do benefício com base no cumprimento das regras impostas pelos perfis dos benefícios secundários que compõem o Auxílio Brasil. 

Mesmo com as mudanças, o novo valor mínimo do benefício será a pauta principal de peças de marketing do pré-candidato à reeleição no decorrer da campanha. Em dezembro de 2021, o valor pago pelo Auxílio Brasil correspondia a 57,9% do custo da cesta básica na cidade de São Paulo, que na época era R$ 690,51. 

O percentual foi visto como um salto e tanto em relação aos 27,7% que faziam parte do poder de compra oferecido pelo Bolsa Família. Entretanto, desde janeiro de 2022, o poder de compra teve uma queda significativa, alcançando 50,1% o valor da cesta básica em abril, que foi de R$ 803,99. O porcentual é similar ao período às vésperas da reeleição da ex-presidente Dilma Roussef, em 2014 (51,1%).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.