Tribunal determina que motoristas do Uber são empregados da empresa

Na Suíça, um Tribunal considera os motoristas com empregados da Uber, o que é benéfico para os trabalhadores. Em nota a empresa afirmou que centenas de motoristas serão afetados em Genebra.

Tribunal determina que motoristas do Uber são empregados da empresa; entenda
Tribunal determina que motoristas do Uber são empregados da empresa; entenda (Imagem: Montagem/FDR)

Na última sexta-feira, 3, a autoridade máxima judicial da Suíça indicou que os motoristas da Uber sejam considerados empregados; essa medida vai de acordo com uma decisão de Genebra que exige que a empresa cumpra com a lei para continuar operando.

O tribunal não decidiu arbitrariamente quando decidiu que os motoristas da Uber que trabalham em Genebra tinham um vínculo empregatício com a Uber BV e ignora o recuso“, diz a sentença.

Motoristas empregados da Uber

Com a decisão, os motoristas do aplicativo de transporte não podem mais ser considerados como autônomos.

“Em resumo, os motoristas de Uber não podem mais ser considerados como autônomos, mas reconhecidos como empregados. A empresa deverá suspender sua atividade até que cumpra a lei”, afirmaram as autoridades em nota.

Com a decisão, a empresa não pode atuar em Genebra até que reconheça o vínculo empregatício de seus motoristas.

A empresa californiana afirmou que a decisão “não deixa outra opção além de suspender temporariamente os serviços no cantão até uma retomada do diálogo com as autoridades para que seja encontrada uma solução aceitável para todos”.

O serviço Uber está disponível em muitas cidades suíças, como Berna, Zurique e Lausanne; de acordo com a empresa essa suspensão das atividades vai afetar centenas de motoristas que trabalham utilizando a plataforma em Genebra.

Segundo o cantão, a decisão constitui “um grande avanço para as condições de trabalho, a proteção dos trabalhadores e a luta contra a concorrência desleal”.

Essa não é a única ação que a empresa californiana sofre, em diversas localidades do mundo a Uber será julgada por não reconhecer a existência de vínculo empregatício com seus motoristas parceiros.

Para saber mais sobre vagas de emprego, vestibulares e cursos, acompanhe a editoria de Carreiras do FDR.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jamille Novaes
Jamille Pereira Novaes é graduada em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), pós-graduada em Gestão da Educação pelo Centro Universitário Maurício de Nassau (UNINASSAU). Como professora de Língua Portuguesa, já atuou no ensino fundamental I e II. Atualmente, trabalha como professora de Língua Portuguesa no ensino técnico e redatora da editoria de carreiras do portal FDR. Jamille utiliza sua experiência na área da educação para cobrir notícias sobre cursos, vestibulares, empregos e concursos.