Pix parcelado: entenda como funciona e descubra como comparar as taxas

Pontos-chave
  • PIX Parcelado é uma nova funcionalidade do sistema
  • Serviço possui taxas
  • Confira quem já oferece a novidade

O PIX conseguiu se tornar um dos mais importantes meios de pagamento do Brasil com menos de dois anos de lançamento. Com isso, a solução de pagamentos foi sendo aprimorada e novas funcionalidades foram sendo lançadas. Uma delas é o PIX Parcelado, que permite que o consumidor parcele o valor de uma compra usando o PIX. Saiba mais sobre esta novidade.

publicidade

O PIX Parcelado é um tipo de empréstimo pessoal que possibilita que o consumidor efetue um pagamento à vista pelo PIX e consiga parcelar o valor.

“O cliente precisa ter em mente que, nesse tipo de transação, está firmando uma relação com a instituição financeira. Ele faz um Pix ao vendedor, que recebe o valor na hora, mas ele poderá pagar em várias parcelas com juros ao banco. Não é um serviço gratuito — embora o Pix seja; e a relação de crédito existe entre a instituição e o cliente, sendo o Pix apenas uma ferramenta de marketing”explicou ao InfoMoney Marcelo Martins, diretor da ABFintechs.

PIX parcelado está regulamentado pelo Banco Central?

Esta modalidade não está no escopo do BC. De acordo com o CEO da Dynamo Networks, empresa de segurança digital, o parcelamento não é uma ferramenta regulamentada oficialmente pelo BC, porém, que pode ser usada pelos bancos e fintechs, como já vem acontecendo no Santander, PicPay e Mercado Livre.

publicidade

“Essa foi uma ideia das instituições para relacionar o Pix ao crédito, mas não tem relação com a agenda de inovação do Banco Central em relação ao Pix. São coisas diferentes. Os bancos e fintechs viram uma oportunidade de negócio e estão comercializando seus produtos”, disse ele ao InfoMoney.

É importante destacar que o BC vem se preparando para lançar em breve o PIX Garantido, modalidade semelhante ao PIX Parcelado.

“O produto Pix Garantido, que permite o parcelamento de transações no Pix, ainda não foi lançado pelo BC e não há previsão de lançamento. Nada impede que os bancos, desde já, ofertem crédito aos seus clientes para utilização em pagamentos via Pix. É um produto de cada banco”, disse o BC, em nota remetida ao InfoMoney.

Vale a pena?

Os especialistas aconselham a cada consumidor que eles avaliem o que melhor se encaixa a realidade dele. Eles alertam para que os consumidores não confundam a modalidade tradicional do PIX com a opção parcelada, que possui custos considerados elevados.

“Apesar da facilidade do parcelamento, que está enraizado na vida financeira do brasileiro, os juros geralmente não compensam. O risco é o consumidor começar a usar o Pix Parcelado como se fosse o Pix normal e somar dívidas e dívidas que não precisariam ser feitas”, explicou ao InfoMoney,  Allan Inácio, professor de finanças da PUC-PR.

Por conta disso, é sempre importante ficar de olho e comparar os custos.

publicidade

Quem já está oferendo o PIX Parcelado

  • Santander

O banco Santander criou o Divida o seu PIX, uma opção de crédito para transações via PIX que foi disponibilizada no aplicativo do banco. O valor de contratação é de no mínimo R$100 e o máximo está limitado as condições pré-aprovadas para cada cliente.

O recebedor tem acesso ao valor pago à vista e o comprador pode parcelar o valor em até 24 vezes. O contratante tem ainda 59 dias de prazo para que as parcelas comecem a ser debitadas de sua conta.

publicidade

É importante destacar que esta funcionalidade possui taxas que partem de 2,09% ao mês e somente pode ser usado por clientes pessoa física do Santander. As transferências, por sua vez, podem ser efetuadas para pessoas físicas e jurídicas. A contratação é feita de maneira totalmente digital.

  • Mercado Pago

A partir de agora, os clientes da conta Mercado Pago, ligada ao Mercado Livre, já podem efetuar compras de maneira parcelada pelo PIX. A novidade pode ser usada por quem tem uma linha de crédito pré-aprovada na instituição que tenha um valor igual ou superior ao da compra.

publicidade

É possível parcelar as compras em até 12 vezes e o valor mínimo para utilização do serviço é de R$15.

Por aqui, o serviço também possui tarifas que partem de 2,5% ao mês e variam segundo o histórico financeiro de cada cliente. Cerca de 20% de todas as transações efetuadas no Mercado Pago acontecem via PIX.

  • PicPay
publicidade

A carteira digital PicPay começou a oferecer uma nova maneira de utilizar o PIX. A partir de agora, os usuários poderão utilizar o limite do cartão de crédito para fazer um PIX. A nova funcionalidade irá ajudar as pessoas que precisam fazer um PIX em determinado momento e não possuem dinheiro na conta.

Além disso, os usuários poderão parcelar o valor da transferência em até 12 vezes. Nesta nova funcionalidade, o limite do seu cartão se torna saldo na carteira e depois automaticamente o PIX é efetuado.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.