Ofereça seu celular como garantia e consiga melhores condições neste empréstimo

Uma das maneira de obter taxas mais amenas no momento  de solicitar um empréstimo é utilizando um bem como garantia de pagamento. Uma nova modalidade que está ganhando popularidade é o empréstimo com garantia de celular, opção que pode ajudar em um momento de aperto.

Uma das empresas que ofertam este tipo de empréstimo é a SuperSim, que libera até R$2.500 para o solicitante que usa seu aparelho celular como garantia de pagamento.

O empréstimo pode ser quitado em até 12 vezes e as regras para obter o crédito é ter mais de 18 anos, aceitar os termos de adesão, comprovar renda para pagar o empréstimo e possuir  um celular com o sistema operacional Android.

A SuperSim explicou que quando o cliente coloca seu celular como garantia, ele da mais segurança de pagamento para as instituições financeiras, o que aumenta as chances de ter o crédito concedido.

A empresa tem foco na classe D, em que grande parte das pessoas não possuem imóveis ou veículos próprios para dar como garantia quando precisam de empréstimo. Por conta disso é oferecido a possibilidade de usar o celular.

São acertos aparelhos das marcas Samsung, Motorola, LG e Xiaomi, todos aparelhos que rodam o sistema operacional Android. Para que o aparelho possa ser dado como garantia basta que a versão do Android seja compatível com o aplicativo que precisa ser baixado. Aparelhos da Huawei e Apple não são compatíveis com as soluções por limitações tecnológicas.

O modelo e a condição física do aparelho são pontos levados em conta no mkmentoi da concessão crédito, no entanto não são os únicos fatores que determinam o valor das taxas, que ficam entre 10% a 17% ao mês.

É importante destacar que caso o cliente não pague as parcelas do empréstimo, o aparelho é bloqueado e só funcionará para chamadas de emergência.

Daniel Shteyn, presidente da SuperSim, explicou que se o cliente atrasar alguma parcela, a empresa aguarda dois dias e tenta entrar em contato direto para cobrar o devedor através de e-mail, sms ou ligação.

“O bloqueio é um último recurso para tentar entrar em contato ou para ter alguma arma para receber o pagamento da nossa parcela. A gente tem um algoritmo que vai dizer em qual momento vamos bloquear e por quanto tempo”, explicou ele ao Valor Investe.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.