Listamos 16 situações onde você pode fazer saques pelo FGTS; confira

Pontos-chave
  • FGTS é garantido por lei ao trabalhador com carteira assinada;
  • Percentual de 8% do salário bruto é destinado à poupança do FGTS;
  • Cada modalidade de saque possui regras distintas a serem cumpridas.

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) está no auge da mídia nas últimas semanas. Pois, além dos saques periódicos de aniversário, o Governo Federal disponibilizou o resgate extraordinário limitado ao valor de R$ 1 mil.

Listamos 16 situações onde você pode fazer saques pelo FGTS; confira
Listamos 16 situações onde você pode fazer saques pelo FGTS; confira. (Imagem: FDR)

Milhares de brasileiros têm sido agraciados pela oportunidade de obter um saldo extra através do benefício. Especialmente porque as regras de liberação são famosas por serem bastante rigorosas e restritivas, condicionadas a circunstâncias específicas. 

Embora o saque por demissão sem justa causa e o saque aniversário sejam os modelos intensivamente anunciados, existem outras possibilidades de resgate do FGTS. Na realidade, há 16 alternativas de saque. O FDR apresenta cada uma delas para você a seguir.

O que é o FGTS?

O FGTS é um benefício trabalhista regido pela Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT). Logo, todo trabalhador formal, aquele com carteira assinada, tem direito a este recurso.

Na prática, o FGTS é uma espécie de poupança criada na titularidade de cada trabalhador. A partir do momento em que a empresa oficializar o vínculo trabalhista assinando a carteira do trabalhador, os depósitos mensais à Caixa Econômica Federal (CEF) devem ser feitos. 

Cada depósito equivale a 8% do salário bruto do trabalhador, e deve ser repassado pelo empregador ao banco até o dia 7 de cada mês. Se a data cair em um final de semana ou feriado, o depósito deve ser efetuado no próximo dia útil. O descumprimento do prazo acarreta em juros e multa ao empregador. 

Quem tem direito ao FGTS?

O direito ao FGTS é concedido aos mesmos grupos de trabalhadores do compõem o programa no geral, como:

  • Trabalhadores rurais, inclusive safreiros;
  • Trabalhadores contratados em regime temporário;
  • Trabalhadores contratados em regime intermitente;
  • Trabalhadores avulsos;
  • Diretores não empregados;
  • Trabalhadores que desempenham atividades no lar;
  • Atletas profissionais.

Quando o saque do FGTS é liberado? 

Perante a lei, o saque é permitido nas ocasiões dispostas a seguir:

Demissão sem justa causa

  • Quando o trabalhador sai da empresa por decisão do patrão, sem que haja justa causa na demissão, ele tem direito de sacar seu Fundo de Garantia;
  • Há ainda pagamento de multa de 40% sobre o montante acumulado naquela conta;
  • Nos casos de demissão por acordo, conforme prevê a reforma trabalhista, o trabalhador tem acesso a apenas 20% da multa do FGTS;
  • Para fazer o saque, é preciso que a empresa envie documentação para a Caixa; não é possível ter o acesso aos valores sem ter os documentos necessários;

Saque aniversário

  • Criado em 2019, o saque-aniversário permite a retirada de parte do saldo da conta do FGTS, todo ano, no mês de aniversário do trabalhador;
  • Quem opta por essa modalidade recebe o dinheiro do fundo a partir do 1º dia útil do mês de seu aniversário;
  • Ao ser demitido sem justa causa, no entanto, não há acesso ao saque-rescisão;
  • O valor a ser retirado também é limitado, conforme o saldo disponível na conta;

Aposentadoria 

  • Ao se aposentar, o trabalhador pode fazer a retirada dos valores do FGTS apresentando documentação que comprove a aposentadoria;
  • Para quem se aposenta e continua trabalhando na mesma empresa, o saque pode ser feito mês a mês;

Trabalhador com 70 anos ou mais 

  • Ao fazer 70 anos, o trabalhador pode solicitar o seu FGTS;
  • Ele deve enviar à Caixa documentos que comprovem a idade;

Trabalhador fora do regime do FGTS há três anos

  • Quem fica por três anos seguidos sem trabalhar com carteira assinada pode sacar o FGTS;
  • A retirada dos valores só pode ser feita a partir do mês de aniversário do titular da conta;

Compra ou construção da casa própria

  • Uma das funções do dinheiro do FGTS é fomentar políticas habitacionais no país;
  • Dentre as regras de saque do fundo está a garantia de que o trabalhador pode usar o valor para a compra da casa própria;
  • Para isso, é preciso ter ao menos três anos de trabalho sob o regime do FGTS, somando períodos consecutivo ou não, na mesma ou em diferentes empresas;
  • Não pode ser titular de outro financiamento concedido pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação) no país;
  • Não pode ser proprietário, promitente comprador, usufrutuário, possuidor ou cessionário de outro imóvel residencial concluído ou em construção no atual município onde mora ou exerça sua ocupação principal nem mesmo em cidades vizinhas e na região metropolitana;

Amortização das parcelas do financiamento imobiliário

  • Quem tem financiamento imobiliário pode usar o saldo do FGTS quitar totalmente ou amortizar a dívida da casa própria;
  • É possível usar o FGTS para diminuir em até 80% o valor das prestações em 12 meses seguidos; para isso, precisa ter na conta um valor total que corresponda a esses 12 meses de parcelas;
  • Neste caso, o trabalhador pode diminuir o total de prestações, pagando o financiamento por menos anos, ou abater parte da parcela mensal, pagando valor menor mês a mês;

Fim do contrato temporário

  • O trabalhador contratado por prazo determinado pode sacar seu FGTS ao final do contrato;
  • Para isso, precisa apresentar a cópia do contrato e as prorrogações, se for o caso;
  • O patrão também deve enviar documentação para a Caixa;

Rescisão do contrato por culpa recíproca ou força maior

  • Quando houver má conduta ou ato de improbidade de ambas as partes, o contrato de trabalho pode ser rompido e o FGTS, sacado;
  • Há ainda a possibilidade de sacar o Fundo de Garantia quando o trabalhador encerrar o contrato de trabalho por correr perigo ou for tratado com rigor excessivo por superiores hierárquicos;
  • As regras estão nos artigos 482 e 483 da CLT;

Rescisão do contrato por morte falência ou morte do empregador e nulidade do contrato

  • Quando há o fim do contrato por falência, o saque do FGTS é permitido, desde que o trabalhador apresente declaração escrita do empregador confirmando a rescisão do contrato em consequência de extinção total ou parcial de parte de suas atividades ou cópia de decisão judicial transitada em julgado confirmando a rescisão por falência;
  • Quando há morte do empregador individual ou doméstico, é preciso apresentar atestado de óbito;

Suspensão do trabalho avulso

  • O trabalhador avulso, que presta serviços para empresas sem ter vínculo empregatício, tem direito ao saque do FGTS quando houver suspensão total do trabalho avulso por 90 dias ou mais;
  • É preciso uma declaração do sindicato da categoria para sacar os valores;

Morte do trabalhador

  • Os dependentes habilitados para receber a herança podem sacar os valores;
  • É necessário apresentar documentação que comprove a morte e o direito ao dinheiro;

Desastre natural e situações de emergência 

  • Neste caso, o saque deve ser autorizado por decreto do governo federal;
  • Em 2022, até 22 de fevereiro, 52 municípios de Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro foram habilitados com o saque do FGTS por motivo de calamidade;
  • Os trabalhadores puderam retirar até R$ 6.220, caso tivessem saldo; a solicitação é feita pelo aplicativo FGTS;

Trabalhador ou dependente com doença grave ou em estágio terminal por doença grave

  • Se o titular da conta ou um de seus dependentes tiver um das doenças graves listadas na legislação, pode sacar o FGTS;
  • A regra vale tanto para quem convive com a doença quanto para quem já está em estágio terminal.;
  • As doenças são: alienação mental, cardiopatia grave, cegueira, contaminação por radiação, doença de Parkinson, espondiloartrose anquilosante, estado avançado da doença de Paget, hanseníase, hepatopatia grave, nefropatia grave, paralisia irreversível e incapacitante e tuberculose ativa;

Trabalhador ou dependente portador de HIV

  • Neste caso, é preciso provar a doença com atestados médicos;
  • Para solicitar o valor por dependente doente, é preciso comprovar o vínculo do trabalhador com quem está doente;
  • Para herdeiros, é necessário apresentar documentos que comprovem o direito à herança;

Trabalhador ou dependente com câncer

  • O titular da conta do FGTS ou seu dependente em tratamento contra câncer pode sacar o dinheiro do fundo;
  • Será preciso levar atestado comprovando a doença;
  • Para solicitar o valor por ter dependente doente, é preciso comprovar o vínculo do trabalhador com quem está doente;
  • Para herdeiros, é necessário apresentar documentos que comprovem o direito à herança;

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.