Bolsonaro afirma que brasileiros viviam melhor no governo Lula; entenda

Na segunda-feira (16), enquanto conversava com jornalistas e apoiadores no cercadinho do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro fez declarações polêmicas em relação aos governos do PT. Segundo ele, o povo brasileiro vivia melhor quando Lula era presidente, mas o desempenho da gestão atual foi prejudicado por guerra, pandemia e outros problemas.

“‘Ah, no tempo dele [Lula] o povo vivia um pouco melhor do que hoje’. Lógico que vivia, concordo. Hoje temos um pós-pandemia, do ‘fique em casa, economia a gente vê depois’, uma guerra, entre outros problemas”, disse o presidente.

Bolsonaro fez a declaração enquanto comentava sobre a corrupção nos governos do PT. Segundo o mandatário, foram desviados “R$ 400 bilhões” do BNDES, “R$ 45 bilhões” da Caixa, além de recursos que deveriam ter sido usados na compra de respiradores para o Nordeste.

Bolsonaro comentou, ainda, que a situação nos governos de Lula e Dilma poderia ter sido ainda melhor, não fosse a corrupção do período.

“Mas lá atrás, você vivia melhor, mas poderia ter vivido muito, muito melhor ainda, se não tivesse roubado tanto”, declarou.

Situação era realmente melhor com o PT?

Diversos indicadores sociais e econômicos demonstram que a afirmação de Bolsonaro sobre os brasileiros viverem melhor no governo de Lula pode ser considerada correta.

Entre 2003 e 2010, período que o petista esteve no poder, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil teve crescimento médio de 4% ao ano, a inflação foi em média de 5,5% ao ano e o salário mínimo foi valorizado em cerca de 70%. A redução significativa da extrema pobreza e a expansão do ensino superior também são citadas como marcas da gestão de Lula.

Esse bom desempenho pode ser explicado, entre outros fatores, pelo crescimento da economia mundial (em especial da China), pelo ambiente de estabilidade econômica e pela ampliação de investimentos em educação, obras públicas e programas sociais.

Os números do governo Bolsonaro são de fato piores que os das gestões de Lula e até mesmo piores que os da primeira gestão de Dilma Rousseff. Segundo levantamento da Austin Rating, o governo atual deve terminar com um crescimento médio do PIB de 0,78%, pior resultado em duas décadas.

Além disso, já se espera que 2022 termine com uma inflação acima de 10%, configurando dois anos seguidos do indicador em dois dígitos, o que não ocorria desde o Plano Real.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amaury Nogueira
Amaury da Silva Nogueira é bacharelando em Letras/Edição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apaixonado pelo universo da escrita, atua há dois anos como redator e realiza pesquisas sobre história da edição no Brasil. Além disso, atualmente pesquisa também sobre direitos e benefícios sociais para agregar conhecimento na redação do portal de notícias FDR.