Saiba como proteger os aplicativos de banco em caso de roubo do seu celular

Crimes financeiros envolvendo as novas tecnologias têm crescido muito nos últimos anos. Uma das práticas mais comuns é quando os criminosos roubam o celular das vítimas, acessam os apps de banco e fazem uma “limpa”, transferindo todo o dinheiro para outras contas.

Normalmente, os criminosos optam por furtar o celular enquanto os proprietários estão usando, em ônibus, carros ou na rua. Dessa forma, eles pegam o aparelho desbloqueado e começam a vasculhá-lo em busca das senhas para acessar o app do banco. Em alguns aplicativos, os criminosos criam uma nova senha a partir do e-mail da vítima, o qual podem acessar pelo próprio celular.

Dicas para se proteger

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) preparou algumas dicas para proteger o app do banco e outros apps sensíveis em caso de roubo ou furto do celular. Confira:

  • Ative o bloqueio da tela inicial e escolha um tempo curto (30 segundos, pelo menos) para que a tela seja bloqueada. Dessa forma, fica mais difícil de os criminosos acessarem as funções do celular em caso de furto.
  • Nunca anote a senha do app do banco, do cartão de crédito, da carteira digital ou de outras ferramentas sensíveis dentro do próprio aparelho. Muitos usuários, para facilitar o acesso a essas ferramentas, anotam a senha em bloco de notas, e-mail, mensagens de WhatsApp, etc. Em vez disso, o recomendado é memorizar as senhas.
  • Nunca marque a opção de salvar/lembrar a senha nos aplicativos ou sites.
  • Não use as mesmas senhas em diferentes apps ou sites. Escolha senhas difíceis e aleatórias.
  • Use ferramentas de segurança adicionais, como reconhecimento facial, biometria e dupla autenticação.

O que fazer se o celular for roubado?

Caso o seu celular seja furtado, a primeira coisa a se fazer é tentar apagar as informações contidas no aparelho. Tanto a Apple, quanto o Google, oferecem ferramentas para fazer essa limpeza remotamente nos celulares com sistemas iOS e Android, o que impede que os criminosos tenham acesso às informações.

O passo seguinte é requisitar o bloqueio do celular à operadora. Lembre-se de fazer isso apenas depois de realizar o primeiro passo, uma vez que após o bloqueio não será possível apagar as informações remotamente.

Em seguida, a vítima deve entrar em contato com o banco, para bloquear o app e impedir a realização de transações financeiras. Também é possível requisitar o ressarcimento de valores que tenham sido roubados. Caso a instituição financeira se recuse a fazer isso, o consumidor pode abrir uma reclamação no Banco Central e no Procon.

Por fim, também é recomendado mudar as senhas dos aplicativos e do e-mail, abrir um boletim de ocorrência e, se possível, entrar com uma ação no juizado especial de pequenas causas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amaury Nogueira
Amaury da Silva Nogueira é bacharelando em Letras/Edição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apaixonado pelo universo da escrita, atua há dois anos como redator e realiza pesquisas sobre história da edição no Brasil. Além disso, atualmente pesquisa também sobre direitos e benefícios sociais para agregar conhecimento na redação do portal de notícias FDR.