Top 10: confira quais ações mais subiram e caíram em abril

Em abril, o Ibovespa, índice de ações mais importante do país, fechou com uma queda de 10,10% aos 107.876 pontos. O mês ficou marcado por uma grande reversão no cenário. Aconteceu um certo esvaziamento da projeção positiva relacionada a interrupção do ciclo de alta de inflação e juros vigente no Brasil, além de saída do fluxo de investimento estrangeiro registrado até o momento, e os acontecimentos decorrentes da guerra entre Ucrânia e Rússia, na visão de especialistas procurados pelo portal Valor Investe.

Desta forma, o Ibovespa se saiu melhor com as carteiras dos investidores em que as aplicações estão nas chamadas empresas defensivas. “São aqueles ativos que não estão muito ligados à atividade econômica interna, ou que tem uma garantia de repasse de preços, ou que tem poder de precificação forte”, disse Luis Moran, coordenador da EQI Research ao Valor Investe.

Confira as 10 melhores ações do Ibovespa em abril de 2022

Classificação Papel Código de negociação Variação (%) Cotação (Em R$)
1 PETRO RIO ON PRIO3 12,14 26,70
2 CPFL ENERGIA ON CPFE3 12,02 36,15
3 ELETROBRAS PNB ELET6 11,29 40,15
4 3R PETROLEUM ON RRRP3 10,47 46,23
5 CIELO ON CIEL3 9,32 3,40
6 ELETROBRAS ON ELET3 8,58 40,48
7 MINERVA ON BEEF3 6,43 13,13
8 PETROBRAS ON PETR3 2,91 33,44
9 IGUATEMI S.A UNT IGTI11 2,64 20,99
10 BR MALLS PART ON BRML3 2,26 9,49

“Em março, tivemos uma expectativa mais positiva do mercado. O Brasil foi um dos primeiros países a subir a taxa de juros e deve ser um dos primeiros a interromper o processo de aperto. Começamos abril discutindo que esse corte, potencialmente, já viria no final de 2022, dada a sinalização do BC de que com o petróleo na casa do US$ 100, ocorreria uma elevação esse mês, também em maio, mas chegando a junho sem novas altas. Mas não foi isso que aconteceu, voltamos a ter uma abertura da curva de juros no curto e no médio prazo”, disse Priscila Araujo, sócia e gestora da Macro Capital.

Priscila também destaca que outros fatores que fizeram com que investidores apostassem em setores mais de defesa foram a incisiva sinalização do banco central americano, o Federal Reserve (FED), com relação ao crescimento de taxas de juros em 0,50 ponto percentual, possivelmente, neste mês e a saída de posições em commodities, por conta do receito de um lockdown na China e da queda das projeções de crescimento econômico local e mundial.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.