Dia das mães: veja dicas para não cair em golpes e falsas promoções

O Dia das Mães está no top três de datas comemorativas que mais movimentando o comércio não apenas nacional, e sim, mundial. Diante da combinação de alta demanda e oferta durante os próximos dias, devido à procura intensiva por presentes, é preciso prestar bastante atenção para não cair em golpes e falsas promoções. 

Nesta mesma época no ano passado, foi observado um aumento de 58% nas tentativas de fraudes aplicadas através do e-commerce, serviços financeiros e vendas no geral. O dado foi apurado pela empresa de tecnologia antifraude, ClearSlae, através do estudo Mapa da Fraude, que analisou mais de 375 milhões de transações. 

Dentro deste total, a categoria que apresentou o maior índice de golpes foi a de celulares. Na oportunidade, o gerente de prevenção a fraudes do banco Letsbank, Bruno César, reforçou que as datas comemorativas estão entre as principais oportunidades para os golpistas entrarem em ação. “Eles percebem a fragilidade e a urgência das pessoas em comprar e se aproveitam disso”, completou. 

Principais golpes que podem ser aplicados no dia Das Mães

Entre os principais golpes que podem ser praticados em compras online no Dia das Mães é o falso brinde, no qual os golpistas fingem ser agentes de grandes empresas, entrando em contato via WhatsApp alegando ter um brinde para o usuário. Os criminosos então solicitam informações pessoais, entregam o produto no endereço e pedem uma selfie para comprovar a entrega. 

Mas na realidade, essa selfie faz parte do link de instituições financeiras para a liberação de empréstimos. Outro exemplo de golpe aplicado também pelo WhatsApp é quando os criminosos fingem ser familiares e amigos das vítimas, usando imagens das mesmas, mas com um telefone desconhecido para requerer quantias em dinheiro via PIX, alegando problemas financeiros. 

Como se proteger de golpes aplicados no Dia das Mães

Visando celebrar o Dia das Mães com tranquilidade, o FDR selecionou algumas dicas que podem evitar dores de cabeça e otimizar as compras com segurança. Veja:

  1. Tome muito cuidado com seus dados pessoais. Não os forneça para qualquer um que se identifique como instituição, empresa ou organização;
  2. Quando procurado, se desconfiar que tenha algo errado, não prossiga com a ação e contate os canais oficiais das empresas para confirmar as solicitações;
  3. Se procurado por WhatsApp por algum número desconhecido, mesmo que com uma fotografia que lhe seja familiar, tente contatar a pessoa por meios que conheça (telefone, e-mail, redes sociais) para realmente se certificar que, de fato, não se trata de golpe;
  4. Em compras em e-commerce, priorize os sites de empresas conceituadas. Se optar por marcas que não sejam conhecidas, sempre busque consultar a reputação;
  5. Evite entrar em aplicativos bancários a partir de redes públicas. Procure realizar suas transações a partir de redes próprias ou conhecidas;
  6. Cuidado ao utilizar o celular enquanto estiverem em trânsito, seja no carro, seja no transporte público ou até mesmo a pé;
  7. Quando “ganhar” um brinde, verifique nos canais de atendimento da empresa se realmente existe alguma campanha para contemplar clientes com produtos ou descontos;
  8. Não tire fotos e selfies a partir do celular de terceiros. Se for ou precisar realizar onboarding em alguma instituição, faça sempre de seu telefone, utilizando redes conhecidas;
  9. Utilize senhas fortes, com mais de 10 caracteres e alternando letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais em aplicativos de bancos ou de qualquer outra prestação de serviços, como redes sociais e e-mails. Evite utilizar datas de nascimento e colocar a mesma sequência em vários acessos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.