Empresas oferecem salários de até R$ 56 mil para recém-formados; conheça

Enquanto muitos se queixam de não conseguir um emprego ou de receber salários baixos, jovens recém-formados em países como Estados Unidos e Inglaterra estão conseguindo receber salários astronômicos no início de carreira. De acordo com especialistas, esse fenômeno já ocorre há alguns anos e deve continuar se intensificando, embora os altos salários sejam apenas para alguns privilegiados.

Uma das áreas que paga os melhores salários para os recém-formados é a de consultoria empresarial. Davis Nguyen, fundador da empresa My Consulting Offer, com sede na Geórgia, Estados Unidos, e especializada no recrutamento de jovens consultores, afirma que os salários nessa área vêm crescendo mesmo em meio a recessões e à pandemia. Ele relata ser comum ver salários iniciais de 8 mil dólares (R$ 40 mil) por mês no mercado atual.

Do outro lado do Atlântico, o cenário é parecido. Grandes escritórios de advocacia de Londres podem oferecer até 9 mil libras (R$ 56 mil) mensais para contratar advogados recém-graduados.

O setor financeiro também se destaca nesse sentido. Nos grandes bancos dos Estados Unidos, analistas podem começar suas carreiras recebendo 9 mil dólares por mês, o que é 30% maior do que a média registrada um ano atrás.

Disputa por talentos

A principal explicação para os altos salários oferecidos aos recém-formados é o desejo das empresas de atrair jovens talentos que estão em pequeno número no mercado. Isso se evidencia pelo caráter restrito do fenômeno: apenas algumas áreas pagam remunerações tão boas.

Mas o aumento dos salários também acompanha o crescimento de certos setores. É o caso das empresas de tecnologia, que pagam salários altos para garantir que profissionais como engenheiros de software não sejam contratados pela concorrência.

Receber salários de até seis dígitos por ano pode ser muito satisfatório para jovens em início de carreira (ou para profissionais de qualquer idade), mas também pode esconder alguns inconvenientes. Para as empresas, pode significar uma perda de incentivo aos funcionários, que não precisarão se esforçar para chegar a um patamar salarial antes reservado a trabalhadores experientes.

Receber valores altos também pode prender os jovens em empregos que não trazem satisfação pessoal, mas dos quais eles não querem abrir mão para não diminuir de padrão de vida.

Enquanto isso, no Brasil

A situação do mercado de trabalho no Brasil é diferente, mas apresenta algumas semelhanças. Em algumas poucas áreas, especialmente engenharias e medicina, jovens recém-formados podem ser contratados por salários superiores a R$ 10 mil.

Para a grande maioria, no entanto, esses valores são uma realidade distante. Em 2021, a renda média do trabalhador brasileiro foi de R$ 1.149, menos de um salário mínimo, de acordo com levantamento da consultoria Kantar.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amaury Nogueira
Amaury da Silva Nogueira é bacharelando em Letras/Edição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apaixonado pelo universo da escrita, atua há dois anos como redator e realiza pesquisas sobre história da edição no Brasil. Além disso, atualmente pesquisa também sobre direitos e benefícios sociais para agregar conhecimento na redação do portal de notícias FDR.