Tesouro Direto: investimentos superam resgates em março

Em março, os investimentos em títulos do Tesouro Direto totalizaram R$4,1 bilhões, ao passo que os resgates somaram R$2 bilhões. Com isso, aconteceu uma emissão líquida de R$2,1 bilhões, de acordo com informações da Secretaria do Tesouro Nacional.

No mês passado, o total de investidores ativos no Tesouro Nacional, que são aqueles que possuem saldo em aplicações do programa, teve um incremento 37.993 investidores, batendo a marca de 1.900.778, o maior patamar da série histórica que teve início 2002. A quantidade de investidores cadastrados no programa cresceu em 521.402, crescimento de 73,9% em relação a março de 2021, chegando a 17.891.025 pessoas.

Aplicações com valor de até R$ 1 mil responderam por 58,4% das operações de investimento no mês de março. Em média, o valor por operação foi de R$ 7.105,91. 

O título mais demandado pelos investidores foi o indexado à taxa Selic (Tesouro Selic) que em vendas, totalizou R$ 2,4 bilhões e respondeu por 57,9% do todo. Já os títulos indexados à inflação (Tesouro IPCA+ e Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais) totalizaram R$ 1,3 bilhão e corresponderam a 31,5% das vendas, ao passo que os títulos prefixados (Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais) resultaram em R$ 435,1 milhões em vendas, ou 10,5% do todo.

Resgates antecipados

De acordo com o Tesouro Nacional, nas recompras (resgates antecipados), prevaleceram  os títulos indexados à taxa Selic, que totalizaram R$ 1 bilhão (51,4%). Os títulos remunerados por índices de preços (Tesouro IPCA+, Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais e Tesouro IGPM+ com Juros Semestrais) totalizaram R$ 586,8 milhões (29%), os prefixados, R$ 395 milhões (19,5%).

Prazo

Com relação ao prazo, a grande parte das vendas ficou concentrada nos títulos com vencimento entre um e cinco anos, que conquistaram 81,2% do total. As aplicações em títulos com vencimento acima de 10 anos responderam por 17,09%, ao passo que os títulos com vencimento de cinco a 10 anos corresponderam 1,6% do total.

Estoque

No mês passado, o estoque do programa terminou em R$ 86,4 bilhões, um incremento  de 3,8% em comparação com fevereiro (R$ 83,1 bilhões). Os títulos remunerados por índices de preços permaneceram com a maior representatividade do estoque totalizando R$ 47,2 bilhões, ou 54,7% do total.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.