Bolsa de Valores: ações do Banco Inter (BIDI11) despencam quase 9%; saiba motivo

Nesta terça-feira (12), as ações do Banco Inter (BIDI11) tiveram a maior desvalorização do Ibovespa. O desempenho negativo aconteceu após a divulgação da prévia operacional da empresa, relativa ao primeiro trimestre deste ano.

Bolsa de Valores: ações do Banco Inter (BIDI11) despencam quase 9%; saiba motivo
Bolsa de Valores: ações do Banco Inter (BIDI11) despencam quase 9%; saiba motivo (Imagem: Montagem/FDR)

No primeiro trimestre de 2022, o Inter registrou um crescimento de 82% na base de clientes, em comparação ao mesmo período do ano passado. A fintech chegou a 18,6 milhões de clientes.

Entre janeiro e março, o banco digital teve R$ 14,1 bilhões em transações em cartões. Isso representa uma alta de 86% na base anual. Esse valor representa R$ 6,4 bilhões em movimentações de cartões de crédito e R$ 7,7 bilhões em débito.

Também foi vista uma elevação de 68% no número de cartões usados no trimestre. A utilização chegou a 5,8 milhões no período.

Nos três primeiros meses deste ano, a originação de crédito chegou a R$ 4,5 bilhões. Em comparação ao mesmo período de 2021, foi observado um aumento de 22%.

Desempenho das ações do Banco Inter (BIDI11)

Nesta terça-feira, as units do Inter despencaram 8,54%, a R$ 16,70, na bolsa de valores brasileira. No dia anterior, os papéis da empresa já tinham recuado 2,87%. No acumulado mensal, as ações registram redução de 21,22%. Já no ano, os ativos apresentam queda de 41,54%.

Segundo analistas de mercado, mesmo que o Inter tenha registrado aumento na base de clientes, de modo geral, os números foram fracos. Os especialistas destacaram a desaceleração no volume transacionado em cartões e na originação de crédito.

Conforme a Levante Ideias de Investimentos, o crescimento da originação, possivelmente, reflete a majoração de taxas — que se iniciou no último trimestre.

A inadimplência apresentou alta para 3,3%, um crescimento de 0,5 ponto percentual em relação ao último trimestre do ano passado. Para o setor de cartão de crédito, a inadimplência foi de 6,6%, o que representa uma elevação de 1,5 p.p. em relação aos três meses anteriores.

No trimestre, o volume transacionado em cartões (TPV) chegou a R$ 14,1 bilhões. Isso significa uma redução de 1% em comparação ao mesmo período do ano passado.

A Levante ressalta que, neste caso, a sazonalidade afeta positivamente o último trimestre do ano. Apesar disso, para uma operação de acelerado crescimento, é um ponto de atenção essa diminuição na base comparativa.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.