Auxílio Brasil alcançou 18 milhões de famílias atendidas em março

Auxílio Brasil ameniza a fome de parte significativa da população brasileira. Nessa semana, um levantamento realizado pelo Governo Federal mostrou que mais de 18 milhões de cidadãos estão sendo contemplados com o projeto social. Sua mensalidade de até R$ 400 beneficia famílias carentes. Confira.

Auxílio Brasil alcançou 18 milhões de famílias atendidas em março (Imagem: FDR)
Auxílio Brasil alcançou 18 milhões de famílias atendidas em março (Imagem: FDR)

Há meses em funcionamento, o Auxílio Brasil vem recebendo um número cada vez maior de contemplados. Quando lançado, em novembro de 2021, tinha cerca de 14 milhões de beneficiários. Atualmente, o número aumentou para 18 milhões.

O público alvo do projeto é formado por pessoas em situação de vulnerabilidade social. Para ser contemplado, é preciso não ter fonte de renda declarada e comprovar viver entre a linha de pobreza ou extrema pobreza.

Número de contemplados por região

Até o momento, a região com o maior número de beneficiários do Auxílio Brasil é o Nordeste, com cerca de 8,5 milhões de família atendidas. Seus estados estão divididos da seguinte forma: Pernambuco (1,4 milhão), Ceará (1,3 milhão) e Maranhão (1,1 milhão).

Para esse grupo, as mensalidades chegam a ser de até R$ 456, quando há a integração com o vale gás. A concessão do projeto, por sua vez, acontece mediante o cumprimento de suas regras.

Quem pode receber o Auxílio Brasil?

  • Famílias em situação de extrema pobreza;
  • Famílias em situação de pobreza; e
  • Famílias em regra de emancipação.

Principais objetivos do Auxílio Brasil

  • Promover a cidadania com garantia de renda e apoiar, por meio dos benefícios ofertados pelo Sistema Único de Assistência Social (SUAS), a articulação de políticas voltadas aos beneficiários;
  • Promover, prioritariamente, o desenvolvimento das crianças e dos adolescentes, por meio de apoio financeiro a gestantes, nutrizes, crianças e adolescentes em situação de pobreza ou extrema pobreza;
  • Promover o desenvolvimento das crianças na primeira infância, com foco na saúde e nos estímulos às habilidades físicas, cognitivas, linguísticas e socioafetivas, de acordo com o disposto na Lei nº 13.257, de 8 de março de 2016;
  • Ampliar a oferta do atendimento das crianças em creches;
  • Estimular crianças, adolescentes e jovens a terem desempenho científico e tecnológico de excelência; e
  • Estimular a emancipação das famílias em situação de pobreza e extrema pobreza.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.