Renda fixa e bolsa de valores são superados por outro investimento; confira qual é

Apesar de a renda fixa e a bolsa de valores serem opções amplamente aproveitadas pelos investidores, ainda existem outras aplicações com rendimentos. Nos últimos três anos, o investimento em imóveis proporcionou melhor retorno em comparação às duas opções mais tradicionais.

Renda fixa e bolsa de valores são superados por outro investimento; confira qual é
Renda fixa e bolsa de valores são superados por outro investimento; confira qual é (Imagem: Montagem/FDR)

De 2019 a 2021, a média de valorização dos imóveis no país chegou a 33,5%, segundo levantamento feito pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito e Poupança.

Na cidade de São Paulo, por exemplo, os imóveis valorizaram mais de 50%. Esse foi o maior crescimento entre as capitais do país. Ou seja, mesmo com a alta da taxa de juros, a demanda seguiu elevando.

Durante esse mesmo período, a taxa de juros acumulada do CDI chegou a 13,7%. Isso significa que a pessoa que tinha um imóvel, e vendeu ao longo desse tempo, teve mais lucro do que se tivesse a mesma quantia em grande parte dos investimentos de renda fixa.

Ainda cabe destacar que o proprietário poderia usar o imóvel poderia ser alugado — ou aproveitado pelo dono. Por outro lado, a renda fixa não possibilita essa variedade.

Bolsa de valores também tem desempenho abaixo do investimento em imóveis

Já ao considerar a renda variável, no caso das ações de companhias de capital aberto, a performance também ficou abaixo entre 2019 e 2021 — em comparação aos imóveis.

O Ibovespa, principal índice da bolsa de valores brasileira, teve desempenho de 14,13% nos últimos três anos. Ou seja, as principais ações da B3 tiveram valorização abaixo da metade, em relação à média dos imóveis no mesmo período.

Além disso, alguns papéis da bolsa, que apresentavam tendência de alta, registraram quedas acentuadas repentinas. Isso aconteceu devido a fatores externos — como a pandemia de coronavírus. Outro fator que impactou algumas ações recentemente foi a guerra na Ucrânia.

Diante deste cenário, é possível observar que os imóveis se posicionaram como investimentos seguros e sólidos. Os preços destes bens tendem a não oscilar tanto. Ainda cabe ressaltar que os imóveis são menos afetados pelas condições macroeconômicas mundiais.

Devido a essa tendência de valorização ao longo do tempo, os imóveis podem, por exemplo, ser usados como uma fonte de renda extra.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.