Empréstimo da Caixa para negativados é oportunidade de fugir do cheque especial; saiba mais

Na última semana, a Caixa Econômica lançou uma nova modalidade de empréstimo voltada para negativados e para Microempreendedores Individuais (MEIs). Negativados conseguem pegar até R$1.000 e MEIs até R$3.000. Mas será que vale a pena? Saiba tudo logo abaixo.

O empréstimo, de acordo com especialistas procurados pelo UOL, pode ser vantajoso, especialmente por ofertar juros mais amenos em comparação com as demais linhas oferecidas no mercado.

É importante relembrar que empréstimos somente devem ser tomados como uma última saída para resolver alguma questão.

“Os benefícios da linha de crédito da Caixa são as taxas, que são relativamente baixas perto do que é historicamente praticado no Brasil, e o fato de estar disponível até para negativados. Isso é um grande diferencial”, disse ao UOL, Thiago Martello, educador financeiro.

Da mesma forma que acontece para pessoas físicas, o educador financeiro diz que a taxa praticada é boa. “Se o empreendedor pegar o dinheiro para fluxo de caixa, é um sinal de que algo está errado com o negócio. Agora, se for como investimento para aumentar a capacidade da empresa, aí sim é interessante”.

Regra dos empréstimos Caixa

Pessoa física

  • Limite de crédito: R$ 1.000
  • Prazo de pagamento: 24 meses
  • Juros: a partir de 1,95% ao mês (26,08% ao ano)

MEI

  • Limite de crédito: R$ 3.000
  • Prazo de pagamento: até 24 meses
  • Juros: a partir de 1,99% ao mês (26,68% ao ano)

Em ambos os casos, a análise de crédito é realizada em um período de até 10 dias, que contam a partir da atualização cadastral.

A pessoas físicas podem contratar o empréstimo no Caixa Tem. Já no caso dos MEIs, é preciso se dirigir a uma agência do banco.

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.