Saque extraordinário: vale a pena fazer o saque de R$ 1.000 do FGTS?

Pontos-chave
  • Saque extraordinário pode ser usado em investimentos;
  • Trabalhador poderá retirar até R$ 1 mil das contas ativas e inativas;
  • Calendário do saque extraordinário começa em abril.

O Governo Federal oficializou a liberação do saque extraordinário de até R$ 1 mil do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). A estimativa é para que 42 milhões de trabalhadores formais com saldo nas contas ativas e inativas tenham acesso à medida. 

Saque extraordinário: vale a pena fazer o saque de R$ 1.000 do FGTS?
Saque extraordinário: vale a pena fazer o saque de R$ 1.000 do FGTS? (Imagem: FDR)

Até mesmo o calendário de pagamentos já foi divulgado, despertando o interesse dos trabalhadores pela chance de adquirir uma quantia extra. Mas este não foi o único sentimento que o saque extraordinário causou, pois muitos brasileiros estão na dúvida se vale a pena fazer o saque de até R$ 1 mil do FGTS. 

O que dizem os especialistas sobre o saque extraordinário?

De acordo com o educador financeiro do C6 Bank, Liao Yu Chieh, existe uma alternativa pouco divulgada. Ao anunciar a possibilidade de liberação do saque extraordinário semanas atrás, o ministro da Economia, Paulo Guedes, mencionou que a intenção desta medida era ajudar os trabalhadores endividados, permitindo que eles usem o FGTS para quitar dívidas. 

Mas ao contrário do pensamento costumeiro, de que ao sacar os valores é preciso gastar o quanto antes, o educador financeiro do C6 Bank explicou que a opção mais vantajosa é sim efetuar o saque extraordinário, mas com a condição de fazer uma aplicação financeira com a quantia obtida.  

Isso porque, o rendimento do FGTS é inferior ao da poupança, ou seja, deixar o dinheiro parado aguardando uma nova oportunidade de saque não será benefício algum. Desta forma, é muito mais vantajoso buscar um investimento viável que está em alta e ter a chance de dobrar o dinheiro. 

Hoje, o rendimento da poupança é feito através da Taxa Referencial (TR) mais 6% ao ano, ou seja, um total anual de 6,91%. Enquanto isso, o saldo das contas ativas e inativas do FGTS também rende por meio da TR mais 3% ao ano, totalizando em um rendimento anual de 5,65%. 

Um ponto a ser observado é que, desde o ano de 2017, o governo passou a incorporar no benefício, a distribuição do lucro do FGTS. Ainda assim, do ponto de vista financeiro o saque extraordinário com foco em investimento continua sendo a opção mais vantajosa. 

Liao Yu Chieh ainda destacou que esta é uma excelente oportunidade para quem deseja investir, mas ainda não teve chance. “O importante é começar a investir, não importa a quantia. A partir desse início, a pessoa pode criar o hábito de tentar aplicar um pouco por mês e ver seu dinheiro render”, ponderou.

Simulação de investimento do saque extraordinário

O educador financeiro fez algumas simulações para descobrir quando o saque extraordinário de até R$ 1 mil poderia render em várias aplicações financeiras. Veja:

Rendimento Valor líquido após um ano Valor líquido após dois anos
FGTS 5,65% R$ 1.056,54 R$ 1.116,27
Poupança 6,91% R$ 1.069,11 R$ 1.143,00
CDB 101% CDI com liquidez diária 13,13% R$ 1.108,31 R$ 1.237,83
CDB 108% CDI sem liquidez diária 13,62% R$ 1.112,36 R$ 1.247,29

 

A simulação leva em conta a distribuição de resultado do FGTS divulgada em agosto de 2021, que foi de 1,86% ao ano, e a TR de 0,7% ao ano. Além do mais, também considera a alíquota do Imposto de Renda de 17,5%. 

Para o educador financeiro, Liao Yu Chieh, o saque extraordinário do FGTS só não é recomendado para quem não tem disciplina financeira. “Para essas pessoas, é melhor ter o dinheiro rendendo pouco do que sacar e ver o dinheiro sumir”, ponderou.

Regras do saque extraordinário do FGTS

A liberação compõe um pacote de medidas de estímulo à economia do país, regulamentado através da Medida Provisória (MP) nº 1.106, publicada no Diário Oficial da União (DOU).A vantagem desta iniciativa é que, indo contra uma das principais regras do benefício, desta vez não será preciso apresentar um motivo legal para efetuar o saque dos valores. 

É preciso prestar atenção em dois fatores. O primeiro é que a quantia mencionada é o máximo que o trabalhador poderá sacar. Segundo, será considerada a soma de todo o saldo presente em contas ativas e inativas. Desta forma, se o trabalhador tiver, por exemplo, R$ 1.500 na poupança do fundo de garantia, ele será autorizado a retirar apenas R$ 1.000.

Por outro lado, se a quantia depositada é inferior ao teto da medida, o valor liberado será equivalente. Todo o saldo será automaticamente depositado na conta poupança social digital, gerenciada pelo aplicativo Caixa Tem. 

Se por alguma razão algum trabalhador não tiver o interesse no saque extraordinário do FGTS agora, ele pode solicitar o cancelamento do crédito até o dia 10 de novembro. O pedido deve ser registrado diretamente pelo Caixa Tem. 

Calendário do saque extraordinário do FGTS

  • Nascidos em janeiro: 20 de abril;
  • Nascidos em fevereiro: 30 de abril;
  • Nascidos em março: 04 de maio;
  • Nascidos em abril: 11 de maio;
  • Nascidos em maio: 14 de maio;
  • Nascidos em junho: 18 de maio;
  • Nascidos em julho: 21 de abril;
  • Nascidos em agosto: 25 de abril;
  • Nascidos em setembro: 28 de abril;
  • Nascidos em outubro: 1º de junho;
  • Nascidos em novembro: 08 de junho;
  • Nascidos em dezembro: 15 de junho.

Os valores que não forem resgatados até o prazo final, retornarão para as contas ativas e inativas do trabalhador com a devida correção. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.